domingo, 10 de junho de 2018

Copa? Nunca nem vi...

A apenas cinco dias do início da Copa do Mundo de Futebol da Russia, o brasileiro sofre uma apatia inédita com relação ao evento. Não há ruas enfeitadas, não há venda de camisas, não há comercialização de bandeiras e não há procura por notícias nos buscadores digitais. O desinteresse por futebol se alastrou não apenas pela seleção: é crescente entre torcedores. Uma explicação seria a alta taxa de corrupção na CBF e nos próprios clubes, que produziu aversão do torcedor.

"Parece ser uma unanimidade nacional. Ninguém jamais viu tamanho desinteresse por futebol no país às vésperas de uma Copa do Mundo. A uma semana da estreia no Brasil na Rússia, é raro encontrar uma rua pintada, bandeiras verde e amarela nas janelas, um torcedor entusiasmado com a proximidade de mais um Mundial. 

O bom desempenho da seleção dentro de campo e o carisma do técnico Tite seriam motivos suficientes para deixar o torcedor brasileiro otimista. Mas não é o que se vê Brasil a fora. Há várias teses para explicar este distanciamento. Desde o abalo na confiança por causa dos 7 a 1 de 2014 ao momento do País, que deixa qualquer um desanimado. “Tenho viajado muito pelo Brasil e observado realmente um distanciamento muito grande da população em relação à seleção. Esse desinteresse se deve a alguns fatores. Primeiro, todo mundo está muito aborrecido com o que tem acontecido no país. Corrupção deslavada, descaso absoluto das autoridades. A população está muito desconfiada e aí a seleção fica em segundo plano”, afirma o sociólogo Maurício Murad, coordenador do Núcleo de Sociologia do Futebol da Uerj."

Leia mais aqui

Portal Brasil 247

Nota do Blog: O "Gaúcho 7 a 1", cuja imagem simbolizou a decepção daquela partida, se chamava Clóvis Acosta Fernandes e morreu de câncer em setembro de 2015. Ele se tornou torcedor símbolo após seguir a Seleção Brasileira em sete mundiais, desde a Copa do Mundo realizada na Itália, em 1990. Clóvis também acompanhava a equipe brasileira de futebol em Copas Américas, das Confederações e Olimpíadas. Ele percorreu mais de 60 países e assistiu a mais de 150 partidas da seleção.


Nenhum comentário:

Postar um comentário