segunda-feira, 11 de junho de 2018

Consultor do Vaticano é impedido de visitar Lula

O advogado argentino Juan Grabois, que faz consultoria para o Papa Francisco, teve a sua visita a Lula impedida pela justiça. A justificativa é de que Grabois não era teólogo ou sacerdote. Lula vem recebendo visitas religiosas às segundas. 

Em maio, o pontífice criticou o papel da mídia na difamação de figuras públicas. "Criam-se condições obscuras para condenar uma pessoa. A mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e com a calúnia e a difamação essas pessoas ficam manchadas. Depois chega a Justiça, as condena, e no final, se faz um golpe de Estado", afirmou na ocasião.

"Vim com muita esperança trazer uma mensagem ao ex-presidente Lula e, lamentavelmente, de maneira, para mim, um tanto inexplicável, os funcionários da Superintendência, aparentemente por uma ordem de cima, decidiram suspender os direitos de Lula e os meus de ter um encontro com o ex-presidente, porque não se poderia caracterizar um encontro religioso", relatou o assessor a jornalistas em Curitiba (foto abaixo).

Para ele, o argumento não tem lógica, uma vez que, "pela doutrina católica, todos nós, batizados, somos discípulos e missionários". Ele contou que veio trazer um rosário do papa Francisco e uma mensagem do papa a Lula, as conclusões dos encontros do pontífice com os movimentos sociais, além de debater questões espirituais com o ex-presidente. Grabois entregou o rosário na PF e deixou uma mensagem por escrito. Ele espera uma resposta de Lula até amanhã.

Com informações da Folha SP, CUT e Portal Brasil 247



Nota do Blog: A matéria foi editada pelo fato de que o Vaticano não confirmou o envio do rosário ao ex-presidente, de acordo com o site Aos Fatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário