quarta-feira, 19 de julho de 2017

Temer instala misturador de voz no gabinete para evitar gravações

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) instalou no gabinete do presidente Michel Temer um dispositivo que dificulta a compreensão de áudios captados por gravadores. O "misturador de voz", como é conhecido, foi instalado há três semanas, e emite sinais sonoros não captados pelo ouvido humano, que interferem na gravação do som ambiente.

Temer teve conversas gravadas pelo empresário Joesley Batista, da JBS, em encontro no Palácio do Jaburu. O teor da conversa serviu como base para a denúncia de corrupção passiva, apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente. Um telefone protegido por criptografia também teria sido instalado no gabinete presidencial. 

Toma lá dá cá - O governo de Michel Temer começou nesta quarta-feira (19) a promover as primeiras trocas de cargos para garantir votos no plenário da Câmara contra a denúncia da PGR (Procuradoria-Geral da República), segundo a qual o presidente cometeu crime de corrupção passiva no exercício do cargo.

O Diário Oficial da União (DOU) desta quarta traz uma exoneração para punir traição e, segundo a reportagem apurou, três nomeações de indicados por apoiadores de Temer.

Como a Folha de S.Paulo informou, foi publicada a exoneração de Thiago Martins Milhim do cargo de diretor do departamento de administração da Funasa (Fundação Nacional de Saúde).

Trata-se de uma punição à deputada Renata Abreu (Podemos-SP), que votou contra Temer na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, na semana passada.

Por outro lado, o PSC, partido de André Moura (SE), líder do governo no Congresso, foi agraciado com a nomeação de dois indicados para ocupar diretorias da Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência): Matheus Belin e Antônio Ricardo de Oliveira Junqueira.

Auxiliares de Michel Temer informaram que também foi nomeado um indicado do deputado Alberto Fraga (DEM-DF). Na enquete promovida pela Folha de S.Paulo, ele consta como indeciso sobre como se manifestará em relação à denúncia contra Temer.

Roberto Postiglione de Assis Ferreira Junior foi nomeado para o cargo de diretor de planejamento e avaliação da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste).

A base aliada do governo vinha pressionando o Palácio do Planalto desde a semana passada, logo após a aprovação do parecer favorável a Temer, para que se começasse a distribuir os cargos dos traidores aos que se mantiveram fiéis.

No início da semana, o entendimento do governo era que se deveria segurar as retaliações, na expectativa de virar votos para a decisão final.

Em conversas reservadas, o peemedebista avaliou que, diante do momento delicado, o Palácio do Planalto deveria continuar negociando com os parlamentares governistas, mesmo com aqueles que votaram pelo prosseguimento da acusação na CCJ. Por isso, somente o Podemos foi punido até o momento. 

Com informações do Jornal do Brasil e do Notícias ao Minuto, ambos do Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário