quinta-feira, 20 de julho de 2017

Restez in Pace, Pe. Edwaldo

Começou a ser velado às 6h desta quinta-feira (20) o corpo do padre José Edwaldo Gomes, que há 47 anos era pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus, em Casa Forte, na Zona Norte do Recife. Aos 85 anos, 60 deles dedicados ao sacerdócio, o religioso morreu na noite de quarta-feira (19), no Hospital Memorial São José, localizado na área central da cidade. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do centro de saúde particular da Rede D’or São Luiz, desde o dia 22 de junho.

Desde o início da manhã, fiéis, amigos e admiradores do padre Edwaldo chegaram à paróquia. Às 7h, foi celebrada uma missa, que foi acompanhada por dezenas de pessoas que trabalham nas obras da Igreja , que foram ajudadas pelo religioso, foram batizadas ou tiveram o casamento celebrado pelo padre Edwaldo.

O velório ocorre na Paróquia de Casa Forte, onde há quase 40 anos é realizada a Festa da Vitória Régia, idealizada pelo padre Edwaldo para arrecadar fundos para a Creche Beneficente Menino Jesus e a Casa da Criança Marcelo Asfora, instituições de caridade mantidas pela paróquia do bairro. Ao todo, são beneficiadas cerca de 300 crianças.

De acordo com a Arquidicose de Olinda e Recife, o local também recebe a missa de corpo presente, presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, e com começo previsto para as 15h desta quinta-feira (20). Após a celebração religiosa, um cortejo seguirá até o Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, onde o enterro será realizado.

Por meio de nota, o hospital onde o religioso estava internado informou que padre Edwaldo morreu às 21h06, em decorrência de falência de múltiplos órgãos. No dia 22 de junho, ele deu entrada na emergência da unidade de saúde com quadro de insuficiência respiratória. Durante o atendimento inicial, sofreu uma parada cardiorrespiratória e precisou ser transferido para a UTI coronariana.

Mensagem

Arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido divulgou uma mensagem de condolências aos familiares, paroquianos e amigos do padre Edwaldo. “Recebemos com pesar a notícia do falecimento do querido Cônego Edwaldo Gomes, que agora descansa em paz. Sacerdote muito estimado pelos seus paroquianos e por todos que o conheciam, sempre demonstrou muito amor e dedicação à vida sacerdotal. Verdadeiro profeta, corajoso, amigo e defensor dos mais necessitados", afirmou no texto.

Em seguida, citou a sua relação com padre Edwaldo. "Particularmente, sempre tive grande afeto por peadre Edwaldo, que me recebeu no Seminário Menor, com 13 anos apenas e me orientou ao longo de minha vida. Nós cremos na ressurreição e na vida e sabemos perfeitamente que este querido irmão e amigo está agora desfrutando das alegrias eternas. Que seu bom exemplo fique bem gravado em nossas memórias", complementou.

Perfil

Nascido em Barra de Guabiraba, no Agreste pernambucano, José Edwaldo Gomes dedicou a vida à Igreja Católica. Ainda criança, mudou-se com a família para o município de Bonito, também no Agreste do estado. Por influência da mãe, passou a ajudar na celebração das missas, uma função conhecida como ‘coroinha’. Aos 13 anos, ingressou no Seminário de Olinda, onde estudou para ser padre. No seu último ano de preparação, foi para Paris, onde se especializou em catequese.

Em 1956, foi ordenado padre pelo bispo Dom Ricardo Vilela, na Igreja Basílica de Nossa Senhora do Carmo, no Recife. Também nesse ano, mas no dia 8 de dezembro, Padre Edwaldo celebrou sua primeira missa na matriz de Bonito. Durante a ditadura, foi um dos principais assessores de Dom Helder Camara, considerado pelos militares um inimigo do governo. Depois de trabalhar em seminários e igrejas, padre Edwaldo foi nomeado por Dom Helder, em 1970, para a Paróquia de Casa Forte, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus.

Além do trabalho religioso, padre Edwaldo gostava de ajudar os pobres e criou a Creche Beneficente Menino Jesus para acolher as crianças de mães que trabalham fora. Outra criação dele é a Casa da Criança Marcelo Asfora, que oferece reforço escolar e assistência médica e psicológica. Ficou conhecido por ações sociais desenvolvidas em comunidades da região, sendo a principal delas a realização da Festa da Vitória Régia.

Incluída no calendário de eventos da cidade, a iniciativa tem como objetivo arrecadar dinheiro para instituições que atendem crianças e jovens carentes. Nos 60 anos de vida como padre, recebeu diversas homenagens e teve a vida contada no livro ‘Um Padre Nosso’, escrito pela jornalista Vera Ferraz.

Portal G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário