quarta-feira, 12 de julho de 2017

Procuradoria: Raquel Dodge aprovada por unanimidade

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (12), por 27 votos a zero, a indicação de Raquel Dodge para o cargo de procuradora-geral da República.

Para ser confirmada no cargo, Dodge ainda precisa ser aprovada pelo plenário do Senado (não haverá nova sabatina).

Ao final da sessão na CCJ, os senadores aprovaram um pedido de urgência para que a indicação seja votada ainda nesta quarta pelo plenário.

A sabatina

Indicada pelo presidente Michel Temer, Raquel Dodge foi sabatinada por mais de sete horas pelos integrantes da CCJ.


No discurso inicial, ela defendeu diálogo entre as instituições e afirmou que, caso aprovada, terá como diretriz a ideia de que ninguém está acima ou abaixo da lei.

Raquel Dodge destacou, também, que, caso assuma a chefia do Ministério Público Federal, atuará com "firmeza, equilíbrio, confiança e imparcialidade".

Cabe ao procurador-geral da República, entre outras atribuições, investigar e oferecer denúncias contra políticos que têm direito ao chamado foro privilegiado.

Ao responder a perguntas de senadores, eça disse que, se necessário, vai aumentar as equipes de procuradores responsáveis por operações como a Lava Jato; que o enfrentamento da corrupção continuará uma prioridade do MP; e defendeu uso da delação premiada como instrumentos de investigação (saiba abaixo o que ela disse sobre cada tema).

Se aprovada pelo plenário do Senado, Dodge assume a PGR em setembro, após o fim do mandato do atual procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que completará quatro anos no cargo. Dodge ficará inicialmente dois anos, podendo ser reconduzida por igual período.



Portal G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário