segunda-feira, 31 de julho de 2017

Drama sem fim: suicídio transmitido nas redes sociais já faz sua quarta vítima; felizmente o rapaz está vivo

O ex-namorado da estudante de Ciências Sociais Bruna Borges, de 19 anos, que transmitiu ao vivo a morte no Instagram, foi levado para o Pronto Socorro de Rio Branco, no Acre, neste sábado, após também atentar contra a própria vida. A unidade informou a jornalistas que o estado de saúde do jovem é estável. Os pais dele o acompanham no hospital.


De acordo com o enfermeiro Fagner Alfredo Arbisson, de 28 anos, recuperar a esperança do jovem está sendo o principal no momento, assim como orientar a família dele sobre os próximos passos a partir de agora.

— A equipe médica está ajudando a ele recuperar a esperança. Estamos oferecendo também apoio emocional e social e estamos trabalhando com a família, para que os pais saibam agir e cuidar do paciente, que está vivenciando esse momento difícil — disse o enfermeiro do setor de saúde mental do hospital. — Agora é preciso resignificar esse episódio de crise na vida dele, de modo que mossa melhorar suas habilidades cognitivas — acrescentou.

Fagner disse ainda que enxerga uma necessidade muito grande de gerar conscientização a respeito das doenças mentais, como a depressão, na capital. — Foi um efeito de bola de neve aqui em Rio Branco, então precisamos conscientizar as pessoas. — Em situações assim, a família tem dificuldades e possui medos — disse, salientando ainda o quanto a doença ainda é vista como um tabu.

Primeira vítima - Há uma semana, a estudante de Ciências Sociais Bruna Borges (foto), transmitiu, ao vivo, a própria morte no Instagram. Pouco antes, a jovem chegou a publicar em seu Facebook a mensagem "Ja viram alguém morrer ao vivo?".

Bruna foi encontrada morta dentro de casa. Em publicações feitas por ela dias antes, Bruna dizia que estava muito mal e que havia sido "abandonada". Ela também relatou ter sido traída por sua melhor amiga.

Dois dias depois da morte da jovem, os pais de Bruna foram encontrados mortos na garagem da residência, em Rio Branco, no Acre. A Polícia Civil acredita que o subtenente Marcio Brito, de 45 anos, e a ex-sargento Claudineia Borges, de 49, tenham tirado a própria vida.

Os corpos foram encontrados por uma parente do casal. De acordo com o Secretário Adjunto da Polícia Civil, Josemar Portes, não há evidências de que as mortes tenham sido causadas por uma terceira pessoa. No entanto, a polícia também trabalha com a possibilidade de que um dos dois possa ter assassinado o outro e tirado a própria vida em seguida.

Jornal Extra (Rio)

Nota do Blog: Depressão não é falta de fé, frescura, preguiça ou tristeza. Depressão é UMA DOENÇA que deve ser tratada e monitorada por médicos. Se você está passando por problemas, não os carregue sozinho. Procure ajuda IMEDIATAMENTE. 

Você também pode procurar o Centro de Valorização da Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário