segunda-feira, 3 de julho de 2017

Cartão de débito cresce como alternativa ao crédito na internet

Com a mudança no perfil do consumidor de novos serviços introduzidos pela internet, o cartão de débito cresce como alternativa ao crédito principalmente em transações de menor valor.

Bancos, redes de cartão e aplicativos formam parcerias para ampliar a modalidade, a fim de atender à nova demanda por parte de clientes que evitam o cartão de crédito por motivos como a ausência de renda fixa e o medo do superendividamento.

Em maio, a Uber, por exemplo, passou a aceitar o pagamento em débito sem maquininha direto no aplicativo, via cadastramento de cartões múltiplos do Banco do Brasil, do Bradesco e do Santander. A empresa afirma negociar expandir a parceria para outros bancos. Desde dezembro de 2016, o serviço de streaming Netflix também permite que assinantes quitem a mensalidade no débito.

O diretor do Bradesco Cartões, Cesario Nakamura, conta que a negociação com a Uber começou em 2016. A partir do anúncio, em maio, mais empresas procuraram o banco para expandir a parceria. “Tudo é novo pra gente. Estamos fazendo de forma controlada, não vai ser aberto para qualquer estabelecimento. Mas eu diria que é uma pendência, porque vemos uma demanda interessante“, afirma.

O débito é o principal meio de movimentação financeira de grande parte dos consumidores, segundo a Mastercard. A rede de cartões também afirmou negociar a ampliação das parcerias para outros serviços.

No 1º semestre do ano passado, os brasileiros movimentaram R$ 546 bilhões via cartões de crédito e de débito, crescimento de 7,2% em relação ao mesmo período de 2015. Desse montante, o volume em operações de débito foi de R$ 209 bilhões, 13% a mais na mesma base de comparação. Os dados são da Abecs(Associação das Empresas de Cartões).

PERFIL DO CONSUMIDOR

Nakamura argumenta que não há grandes dificuldades técnicas que impedem os bancos de oferecer o pagamento em débito. A adaptação ao sistema de prevenção de fraudes não é tão complicada e poderia ter sido desenvolvida antes. O que motivou a adequação neste momento foi uma mudança no perfil do consumidor e a popularização de novos serviços pela internet.

“É uma questão histórica de preferência [pelo crédito]”, diz Nakamura. A modalidade permite pontuação em milhas e melhores condições de financiamento para bons pagadores. Segundo o diretor, clientes que têm os 2 cartões costumam preferir o crédito.

Há 6 anos no Brasil, a Netflix diz ter batido a marca de 100 milhões de usuários no mundo em abril deste ano. Em operação no Brasil desde a Copa do Mundo de 2014, a Uber declara ter 13 milhões de usuários ativos no Brasil, além de 50 mil motoristas parceiros.

SEGURANÇA

A inovação começa a ser implementada em cobranças mais baratas. De acordo com o Bradesco, o valor médio por viagem da Uber pago por clientes do banco é de R$ 20. A mensalidade mais barata do Netflix custa R$ 19,90 e a mais cara, R$ 37,90.

A tecnologia da Mastercard, usada no aplicativo da Uber e na Netflix, permite autenticação sem digitar a senha. Além disso, a Uber diz possuir 1 dos times e sistemas de antifraude mais avançados do mercado. “Exatamente por isso que os bancos aceitaram desenvolver o débito online para nossa plataforma“, informa em nota.

Concorrente da Uber, a Cabify diz negociar parcerias com os principais bancos brasileiros a fim de oferecer a modalidade. A principal dificuldade relatada pela empresa é eliminar a necessidade de digitar a senha.

“O débito é desejado por todo mundo há muito tempo. Quando falamos de classes menos abastadas, o débito talvez seja a única solução“, explica o diretor de Novos Negócios da Cabify, Rogério Guimarães. Sem previsão de incluir o pagamento em dinheiro, por enquanto a empresa só aceita cartões de crédito e PayPal.

VANTAGENS

A Mastercard argumenta que inaugurar a opção pelo pagamento em débito torna os serviços on-line mais acessíveis. No caso da Uber, a facilidade maior para o consumidor é poder sair do carro sabendo que a viagem já foi paga.

Para instituições financeiras, o cadastro do cartão pela internet favorece a fidelização dos clientes e gera receita a cada utilização. Como consequência indireta, a medida reduz os saques e os custos associados à operação, como o transporte e a segurança das cédulas para os caixas eletrônicos.

Poder 360º (DF)

Nenhum comentário:

Postar um comentário