sexta-feira, 23 de junho de 2017

Temer pode ser denunciado na segunda-feira

O presidente Michel Temer deve ser denunciado na segunda-feira (26) por corrupção passiva, pelo procurador-geral Rodrigo Janot. A denúncia será ancorada no caso de seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, flagrado com uma mala com R$ 500 mil em propinas, pagas pela JBS. De acordo com a empresa e com os investigadores da Polícia Federal, Temer é apontado como o destinatário final dos recursos.

Outras denúncias contra Temer, por obstrução judicial e organização criminosa, serão apresentadas na sequência – o que obrigará a Câmara dos Deputados a votar três vezes se aceita ou não uma acusação contra ele. As informações sobre a data da primeira denúncia são dos jornalistas André de Souza, Carolina Brígido e Fernando Eichenberg, no jornal O Globo.

Gafe - O presidente Michel Temer cometeu gafes nesta sexta-feira (23) durante um encontro oficial com a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, em Oslo. O brasileiro ficou em saia justa quando a premier teceu duras críticas à corrupção. Em seguida, confundiu-se todo, dizendo que visitaria o "Parlamento brasileiro" e se reuniria com o "rei da Suécia".

"Estamos preocupados com a Lava Jato e é preciso fazer uma limpeza e encontrar uma solução", afirmou Erna Solberg, ao lado de Temer. Segundo ela, o Brasil vive uma época de "desafios" e "turbulência". Atualmente, a Noruega também investiga empresas que teriam pagado propina a ex-diretores da Petrobras ou executivos que manteriam contas no exterior.

Temer, desconcertado com as críticas da premier, confundiu-se todo ao tomar a palavra para seu discurso. Em vez de anunciar sua visita ao Parlamento norueguês e seu encontro com o rei do país, o peemedebista disse que iria ao "Parlamento brasileiro" e falaria com o "rei da Suécia".

Mesmo com as críticas da premier, Temer tentou convencer a Noruega de que o Brasil não passa por nenhuma crise. "As instituições funcionam com regularidade extraordiária e liberdade", afirmou. "A democracia é algo plantado formalmente pela Constituição e praticada na realidade". Em Oslo, o presidente brasileiro foi alvo ainda de um protesto nas ruas, diante do prédio onde o encontro com Erna Solberg ocorria. Manifestantes carregaram placas, em inglês, exigindo "respeito aos direitos indígenas", "à democracia" e aos "direitos humanos".

O tema ambiental já tinha sido motivo de gafe para Temer, que fora notificado ontem (22) pela Noruega da redução de 50% de ajuda financeira para a preservação da Amazônia. (ANSA)

Notícias ao Minuto (Rio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário