quinta-feira, 1 de junho de 2017

SC: 6 mil pessoas afetadas pela chuva



Sobe para 66 o número de municípios afetados pela chuva nesta semana em Santa Catarina. Segundo o último boletim da Defesa Civil do Estado, divulgado às 22h desta quarta-feira, já são 6.308 pessoas prejudicadas desde sábado.

A situação é mais crítica no Oeste catarinense, no Alto Vale do Itajaí e no Litoral Norte. Ao todo, 1.655 residências foram diretamente afetadas com alagamentos, deslizamentos de terra, queda de árvores e inundações, segundo a Defesa Civil.

Pelo menos 36 mil alunos da rede estadual não terão aulas nesta quinta e sexta-feira, nos municípios mais afetados pelas chuvas. Em Brusque, as escolas municipais também não terão aula. Na cidade, a apreensão é com a alta do Rio Itajaí-Mirim, que segundo a previsão da Defesa Civil deve chegar a 8 metros durante a madrugada.

Em Blumenau, a previsão é que o Rio Itajaí-Açu atinja 7,80 metros à meia-noite, condição suficiente para atingir as ruas mais baixas da cidade.

Rio do Sul tem a situação mais crítica do Vale do Itajaí. A cidade é uma das mais afetadas pelo tempo ruim das últimas semanas e registrou mais de 300mm de chuva em maio, quebrando recorde para o período. 

O nível do Rio Itajaí-Açu está próximo de 8 metros. A Defesa Civil da cidade e o prefeito José Thomé elevaram a cota de emergência do rio para 10,5 metros durante a madrugada. A população que mora em áreas com esse limite antes de serem inundadas devem procurar abrigo. 

Segundo a prefeitura, a cota prudencial também foi alterada para 11,5 metros e as pessoas que moram nos locais que são atingidos com esse nível do rio, devem ficar atentas e planejar a saída.



No extremo Oeste do Estado, o Rio Uruguai é motivo de preocupação. Por volta das 20h, já tinha atingido 10,3 metros de nível em Itapiranga e começou a atingir a Avenida Beira-Rio. No final da noite, a chuva na região reduziu a intensidade. Mas como o Rio Chapecó continuava aumentando a vazão, chegando a 1,5 mil metros cúbicos por segundo, e a hidrelétrica de Foz do Chapecó – situada entre Águas de Chapecó e Alpestre – tinha uma vazão de 19 mil metros cúbicos por segundo, a preocupação persistia.

Estradas também ficaram comprometidas no Estado. No início da tarde desta quarta-feira, a BR-116, na Serra do Espigão, município de Monte Castelo, chegou a ser bloqueada por desmoronamento. Em Ibirama, no Vale do Itajaí, a BR-470 teve interdição parcial no Km 119,8, no sentido Rio do Sul. O motivo é uma queda de barreira. 

A Polícia Rodoviária Federal também informou que havia vários pontos com água sobre a pista e buracos no trecho entre Apiúna e Rio do Sul.

Para esta quinta-feira, a previsão indica chuva, principalmente para o Litoral Sul e Serra, onde pode chover entre 60 milímetros a 80mm, com picos de 100 milímetros, e Grande Florianópolis, com volume médio de 50mm, segundo a Epagri Ciram. O acumulado de chuva entre quarta e quinta nessas regiões deve chegar a 150mm no Sul do Estado. 

O alerta da Defesa Civil e da Epagri Ciram é para regiões em que os rios já estejam em nível elevado e o solo, encharcado, o que aumenta o risco de deslizamentos de terra. Para o Vale do Itajaí e Litoral Norte, no entanto, a previsão indica chuva fraca pela manhã e até aberturas com sol à tarde. No Oeste e no Meio-Oeste, tempo nublado, com chuvas isoladas.

No Sul do Estado e no Litoral catarinense, estão previstas rajadas de vento de até 90Km/h. Por conta desse fenômeno, o mar fica agitado, com picos de onda de 4 metros, o que desaconselha a navegação com embarcações médias e pequenas. 

Diário Catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário