sexta-feira, 23 de junho de 2017

Roraima é o estado que mais mata mulheres no Brasil, diz estudo da Human Rights Watch

Roraima é o estado que mais mata mulheres no Brasil, é o que revelou novo relatório da Human Rights Watch (HRW), divulgado nesta quarta-feira (21), sobre a impunidade em casos de violência doméstica na região.

De acordo com a pesquisa da organização, a taxa de homicídios cresceu 139% entre 2010 e 2015.

São 11,4 mulheres assassinadas para cada 100 mil mulheres. No Brasil, a média nacional, uma das mais elevadas do mundo, é de 4,4 mortes.


O relatório é baseado em 31 casos de violência doméstica. Foram feitas dezenas de entrevistas entre fevereiro, março e maio de 2017.

Após a pesquisa, a organização defende que a polícia e o sistema de justiça de Roraima precisam se dedicar a colher e produzir dados abrangentes sobre a situação de vulnerabilidade das mulheres.


Para transformar tal realidade, é necessário que se reduzam os obstáculos que impedem as vítimas de denunciar e expor os seus agressores.

Ser mulher em Roraima - Em nenhum dos casos ouvidos pela Humans Right Watch as violências são inéditas. Pelo contrário. Todas as mulheres afirmaram ter sofrido diversas violências anteriores à denúncia.

A violência psicológica está presente em todos os casos. Mais da metade das mulheres alegaram que o abuso psicológico avançou para violência física. Outras também alegaram violência patrimonial.

As mulheres, ainda, disseram que a situação ficou ainda pior quando elas tentaram se distanciar dos agressores.

O quadro em Roraima é uma pequena amostra do que ocorre com a maioria das mulheres no Brasil.

A pesquisa do Datafolha publicada em fevereiro de 2017 demonstra que 1/3 das brasileiras maiores de 16 anos já sofreram algum tipo de violência, desde ameaças e agressões até tentativas de homicídios.

Em 61%, os agressores eram familiares, parceiros ou conhecidos das vítimas.

De todas as vítimas, apenas 1/4 resolve denunciar os agressores.



The Huffington Post Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário