sexta-feira, 2 de junho de 2017

Produção de Mangaba começa a ser mapeada em PE

Extensionistas do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Tabuleiro Costeiro) participaram, na manhã desta quinta-feira (1), de reunião que iniciará mapeamento e produção de relatório sobre a Mangabeira (árvore produtora da fruta mangaba), no estado de Pernambuco.

De acordo com Maviael Fonseca, coordenador do Departamento de Assistência Técnica do IPA (DEAT), a ação tem como foco realizar um levantamento de áreas no litoral do Estado que possuam árvores nativas da mangabeira e, posteriormente, possibilitar a proteção – por meio de coleta para banco de germoplasma – produção e a execução de políticas públicas para proteção das áreas e cultivo da fruta com acompanhamento técnico. 

Fonseca ainda reforça que em Pernambuco existem dois tipos de extrativismo frutíferos importantes, a mangaba e o umbu e que é necessário coletar dados a cerca do assunto. “É de fundamental importância ter conhecimento aprofundado das áreas de ocorrências extrativistas e de exemplares da mangabeira. Para que possamos promover atividades de assistência técnica adequada à realidade da região”, destacou.

O pesquisador e curador de fruteiras nativas da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Josué Francisco, comentou que o mapa é o objeto principal dessa ação, pois vai nortear as futuras ações para cultivo da fruta. “É preciso dimensionar as áreas e se existem trabalho extrativista com a mangaba no estado. Além de apresentar as formas de acesso ao fruto, gestão das áreas existentes e número de pessoas que sobrevivem da coleta fruta”, frisou.

Participam da ação extensionistas de 13 municípios de Pernambuco, dentre eles: Itambé, Goiana, Itamaracá, Itapissuma, Igarassu, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Sirinháem, Rio Formoso, Tamandaré, Barreiros e São José da Coroa Grande.


Instituto de Agronomia de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário