quinta-feira, 25 de maio de 2017

O Especial de Cafés & Cia do Pão de Açúcar acontece até o dia 04 de Junho

A bebida preferida de 10 entre 10 brasileiros teve suas evoluções ao longo dos anos, mas sem nunca perder a essência. Há quem escolha o café pelo preparo e há quem o escolha pelo sabor. Sabor? O sabor é o mesmo, mas o detalhe está na intensidade da bebida, ou seja, umas pessoas preferem cafés com aromas mais fortes, outras optam pela bebida mais suave. E existe diferença entre os dois tipos? Claro que existe. A sensação de “força” ou “intensidade” obtida no preparo do café pode ser influenciada por diferentes aspectos, como o processo na lavoura pós-colheita, a elaboração do blend (combinação de espécies), a cor da torra, que é o tempo que o grão fica em cada temperatura e a moagem, que nada mais é que o ato de moer o café.

Hoje em dia, podemos degustar cafés com sabores distintos ao longo do dia, de acordo com cada momento. Por exemplo, de manhã, para despertarmos, um café suave é o mais indicado. Já após as refeições, uma boa pedida é um espresso, um pouco mais intenso. Fato é que independente do seu gosto, neste especial, o Pão de Açúcar traz para o consumidor as peculiaridades e características de todos os tipos de café e os seus acompanhamentos, como por exemplo: bolo, biscoitos amanteigados ou até mesmo chocolates. Além disso, uma grande variedade de produtos com preços especiais neste período.

Com o objetivo de sempre ajudar o consumidor facilitando o seu cotidiano, o Pão de Açúcar lista pra você uma harmonização entre os diversos tipos de café e seus acompanhamentos perfeitos:

DESCAFEINADOS:

A cafeína tem um composto químico orgânico que contém nitrogênio e é encontrado em vários alimentos, como: cacau, chá e café. Ela atua como um estimulante natural e seu uso tem sido ampliado pelas indústrias alimentícias e farmacêuticas. Consumir ou não a cafeína é uma decisão de cada um.

Muitas pessoas têm maior sensibilidade à substância do que outras. Para quem procura diminuir sua ingestão, mas não abre mão de um café à noite, a recomendação é o café descafeinado, cuja cafeína é retirada por métodos químicos ou naturais. Entretanto, hábito, sabor e principalmente o sono não serão perdidos.

CAFÉS SUAVES:

Os cafés mais suaves apresentam sabores e aromas mais delicados. Seus grãos são produzidos a partir de blends da espécie Coffe arabica, cujo processamento pós-colheita é feito sem a casca.

A bebida preparada com esses grãos de torra mais clara tornam os cafés ainda mais suaves e a moagem mais grossa faz o grão ter menos corpo e aroma. Numa escala começando com 3 e terminando em 10, os cafés são classificados como suaves quando ficam entre 3 e 6.

Cafés com essa particularidade são melhores degustados sem açúcar, preferencialmente puros. Os cafés mais suaves combinam melhor com queijos mais delicados, como os frescos e com pouco tempo de cura, com bolos cítricos de laranja ou limão e com chocolate ao leite. Há quem diga que servi-lo com frutas secas também é interessante.

CAFÉS INTENSOS:

Considerados como pilares dos cafés intensos: a torra do grão do café e o seu blend são fundamentais para a percepção do sabor quando ele é classificado como forte ou intenso. Quanto maior o nível de intensidade e, consequentemente, mais acentuado o seu amargor, maior será a porcentagem de grão de espécie canephora. Conhecido como robusta, este tipo de café tem o dobro da quantidade de cafeína que um da espécie arábica.

Biscoitos amanteigados, chocolates amargos e até mesmo brownie são combinações ideais para este tipo de café. Tem uma finalização mais longa e duradoura no paladar, o pó tem cor marrom mais escuro e o horário mais aconselhável para consumo é após o almoço. Na mesma escala de intensidade dos cafés, este encontra-se entre 7 e 10. 

A evolução do café trouxe o seu preparo a ser realizado em cápsulas. E não é por isso que suavidade e intensidade serão esquecidos. Basta saber a quantidade de água a ser colocada para determinar qual tipo de café você vai escolher, por exemplo: o café longo recebe uma quantidade maior de água resultando em um café mais fraco; já o café curto, tradicionalmente chamado de espresso, é concentrado e rico em açúcares, devido ao seu método de extração e rápido contato com a água.

Com sua tradicional exclusividade, o Pão de Açúcar apresenta o café colombiano Juan Valdez, considerado um café gourmet de alta qualidade, devido ao seu cultivo em elevadas altitudes e à sua colheita seletiva. Os cafés da Colômbia apresentam acidez cítrica e delicada, com corpo delicado e baixo amargor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário