segunda-feira, 22 de maio de 2017

Explosão após show de Ariana Grande em Manchester deixa mortos

Duas explosões deixaram mortos e feridos após um show da cantora pop americana Ariana Grande na cidade inglesa de Manchester, na noite desta segunda-feira, segundo a polícia local. Vários agentes isolaram a área da Manchester Arena e emitiram um alerta para que as pessoas não se aproximassem da região. O serviço britânico de trens bloqueou as linhas que saem da estação Victoria, em frente à arena. Ariana está bem, disse um representante de sua gravadora à revista "Variety".

Um primeiro estouro foi ouvido logo após o final do show da cantora, aparentemente do lado de fora. Ariana havia saído do palco e as luzes haviam sido acesas. Apreensivas, as pessoas correram em pânico após a segunda explosão, cerca de dois minutos depois.

Apesar dos fortes estouros, não houve relatos de fumaça. Testemunhas também atribuíram o desespero no local ao estouro de balões.

A polícia logo declarou o caso como um "incidente sério". Várias ambulâncias e viaturas foram redirecionadas ao local com urgência.

— Quando estávamos bem na porta, houve uma grande explosão e todos começaram a gritar — afirmou Catherine Macfarland, que estava no show. — Foi uma explosão enorme, podia ser sentida no peito.

Fotos compartilhadas nas redes sociais e relatos de jornalistas já davam conta de haver pessoas feridas logo após o show, "uma cena caótica".

— Quando chegamos lá fora, muitos policiais vieram correndo em direção à área e a estação Victoria foi cercada — disse ao "Guardian" uma testemunha identificada como Hannah, mencionando que haveria "uma bomba e um atirador".

Moradores do entorno relataram que o estouro foi muito alto.

— Ouvi um enorme estrondo da minha cama, fui para a frente do meu apartamento e vi todo mundo fugindo em grandes grupos. O estouro foi tão grande que ouvi do meu quarto, que está na parte de trás dos blocos de apartamentos — disse à Press Association Suzy Mitchell, de 26 anos, que mora em frente ao local.

O Reino Unido vive um alto nível de alerta antiterrorismo após a Inteligência advertir para o risco de grandes ataques. No mais recente caso de terror no país, um homem atropelou em março várias pessoas na Ponte de Westminster, em Londres, e esfaqueou até a morte um policial em frente à sede do Parlamento britânico. Cinco pessoas foram mortas no episódio.

Jornal Extra (Rio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário