terça-feira, 4 de abril de 2017

Mistério: universitário desaparece e deixa vários livros criptografados

O estudante de psicologia da Uninorte, Bruno Silva Borges, de 24 anos, que está desaparecido há mais de uma semana, na cidade de Rio Branco, capital do Acre, ainda não foi encontrado pela família, que usa as redes sociais para buscar informações que possam levar ao paradeiro do jovem.

O empresário Athos Borges, pai de Bruno, contou à imprensa que o filho saiu de casa usando apenas uma bermuda listrada e camiseta branca. Segundo, Athos, o celular do filho está desligado e ninguém tem notícias.

Supostos investigadores da polícia entraram no quarto de Bruno para conseguir alguma pista, e fizeram um vídeo onde mostra algumas escritas na parede e chão do imóvel, além de quadros e objetos que estão associados ao ocultismo e alquimia.

Durante a gravação é possível ver no centro do quarto uma estátua do filósofo e teólogo Giordano Bruno avaliada em R$ 20 mil reais, segundo a própria mãe do jovem. Bruno é admirador do pensador que foi morto na fogueira santa em 1600 D.C pela inquisição por questionar erros teológicos.

Além da imagem, é possível notar folhas coladas no chão e parede com escrita enigmática, símbolos de religiões consideradas pagãs e sociedades secretas e uma pintura onde o jovem aparece ao lado de um ET.

Os livros criptografados estão em posse da Polícia do Civil do Acre, que também está investigando o caso. De acordo com o coordenador da Delegacia de Investigação Criminal (DIC), o delegado Fabrizzio Sobreira, todas as possibilidades estão sendo consideradas, porém, o caso segue em sigilo.

Apesar disso, uma página dos 14 livros criptografados foi fotografada e postada na internet. Não levou muito tempo: ela foi descriptografada e o conteúdo do texto revela algumas ideias escritas por Bruno antes de seu desaparecimento.

O diretor da Antecipe, plataforma de gerenciamento de vulnerabilidades, Igor Rincon, e o líder de desenvolvimento, Renoir dos Reis, montaram um site chamado “Decifre o Livro” para ajudar a descriptografar outras páginas que venham a surgir.

“Caminho difícil”

Segundo a mãe de Bruno de Melo, em entrevista ao G1, o jovem não possui problemas psicológicos. “Ele é iluminado. Na escola, sempre foi diferenciado, um líder nato, com um alto poder de persuasão. É um menino de um coração tão bom, que dava as coisas da casa e dele aos outros, como camisetas e calças. Não é porque é meu filho, estou falando do Bruno amoroso, que enxerga a alma das pessoas”, comentou a mãe.

O TecMundo conversou com Igor Rincon para entender qual o padrão encontrado no página de Bruno que foi divulgada na internet. “Eu achei o texto na internet. Encontrei o ‘700’ e, como é um número grande, deduzi que ‘LO’ seria referente à ‘AC’ ou ‘DC’”, explicou sobre o ponto inicial da descriptografação do texto. “Atrás da data, tentei deduzir as palavras que são mais comuns quando se refere à um texto antigo e, então, encontrei os padrões”.

Rincon e Renoir ainda colocaram os caracteres criptografados sobre um teclado físico para entender melhor como o padrão de criptografia. Segundo Renoir, a ideia agora é “centralizar todos esses documentos, quebrar a criptografia e disponibilizar a todos”.

A página - Como citado, os livros estão em posse da Polícia Civil. Exatamente por isso, não há como o trabalho de descriptografação seguir adiante — a não ser as páginas sejam liberadas para conhecimento público. Até o momento, a página que foi fotografada é a que você acompanha aqui embaixo.

Agora, você acompanha o texto na íntegra e descriptografado:

“Caminho difícil

Por milhares de anos o ser-humano vem tentando encontrar respostas para perguntas como “qual o sentido da vida”? A filosofia que ao que tudo indica, parece ter se iniciado com Tales de Mileto em meados de 700 A.C. visa encontrar vestígios de perguntas sem respostas. A pesquisa profunda pela verdade absoluta advém da filosofia, e quando falamos a respeito de caminhos fáceis ou difíceis estamos nos referindo a esse tipo de teorema.

É fácil aceitar o que desde criança te ensinaram que é errado. Difícil é quando adulto, entender que te ensinaram errado o que desde criança você suspeitou que fosse correto. Em outras palavras, se você se enquadra em algum cujos estímulos do meio lhe determinaram certo comportamento, fazendo com que estivesse a mercê de crenças já providas e bem estabelecidas em dogmas e rituais, com uma massa concentrada de pessoas nela; ou permitindo-o ficar no conformismo, aceitando o conceito de felicidade e de sentido da vida embutido pela mídia e pela sociedade, então claramente você faz parte do caminho fácil para a busca pela verdade absoluta.

Acaso se enquadre na segunda opção, ou seja, aquele que suspeitava de todo conjunto de crenças que lhe foi enraizado, então este tem tudo para ser um investigador da veracidade nas coisas ao seu redor, entrando em um caminho mais complicado, no qual uma minoria se arrisca ou enfrenta com bravura”.

Com informações da Folha do Acre, do TecMundo e do Portal G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário