sábado, 8 de abril de 2017

Justiça condena fazendeiro por manter 30 pessoas em situação análoga à escravidão

A Justiça Federal em Barra do Piraí, no centro sul do Rio de Janeiro, condenou um fazendeiro da região rural de Valença por trabalho escravo. O empresário rural foi condenado a mais de 7 anos de prisão por manter 30 pessoas em situação análoga à escravidão.

Segundo o Ministério Público Federal, autor da denúncia, os trabalhadores eram do Paraná e foram levados ao Rio de Janeiro com promessas de trabalho e boa remuneração. Mas, ao chegar ao cafezal, o fazendeiro obrigou os trabalhadores a realizarem, além da colheita, limpeza e capinagem sem a devida remuneração. Quando os trabalhadores se negaram a realizar o serviço não contratado, o fazendeiro alegou que eles teriam uma dívida de R$2.800,00 referente ao custo do transporte que os levou para o Rio.

Em inspeção realizada, o Ministério Público do Trabalho também mostrou`um quadro de precariedade nas condições oferecidas aos trabalhadores e suas famílias. Os trabalhadores foram mantidos sem cama, comida e água.

Brasil de Fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário