quinta-feira, 27 de abril de 2017

Cadoca expulso do PDT

O PDT informou nesta 5ª feira (27.abr.2017) que o deputado Carlos Eduardo Cadoca (PE) foi expulso do partido por ter votado a favor da reforma trabalhista, aprovada no dia anterior. Saiba como cada partido se comportou na votação.

O partido havia definido voto contrário às reformas trabalhista e previdenciária (fechar questão, no jargão). O presidente da sigla, Carlos Lupi, afirma em nota que o PDT “tem a obrigação de ficar ao lado do trabalhador brasileiro”.

Precedente - A executiva do PDT expulsou, em janeiro de 2017, o senador Temário Mota (RR) por ter votado a favor da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do teto dos gastos. Hoje no PTB, Temário disse que Carlos Lupi era “cara de pau” e que estava reduzindo o partido “a nada”.

O partido também puniu congressistas que votaram a favor do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. O deputado Giovani Cherini (RS), hoje no PR, foi expulso na ocasião. Outros 6 foram suspensos: Sérgio Vidigal (ES), Flávia Morais (GO), Mário Heringer (MG), Subtenente Gonzaga (MG) e Hissa Abrahão (AM).

Eis a íntegra da nota do partido sobre a expulsão de Cadoca.


“Diante do resultado da votação da reforma trabalhista ocorrida na noite de ontem, em Brasília, a Executiva Nacional do PDT decide, ad referendum, pela EXPULSÃO do parlamentar Carlos Eduardo Cadoca (PE).

A medida vai ao encontro de decisão tomada na última Convenção Nacional do PDT, em 17 de março, onde o Diretório Nacional fechou questão contrária às reformas do atual governo que ataca e retira direitos dos trabalhadores brasileiros.

O PDT tem suas raízes históricas e lutas sempre em favor do trabalhador brasileiro. No momento que um governo ilegítimo, imoral e sem qualquer apoio popular decide atacar diretamente as conquistas trabalhistas, o PDT tem a obrigação de ficar ao lado do trabalhador brasileiro.

Carlos Lupi



Presidente Nacional do PDT”.




Poder 360º

Nenhum comentário:

Postar um comentário