quarta-feira, 29 de março de 2017

Parlamento da Escócia aprova negociação com Londres para realizar novo referendo sobre saída do Reino Unido

O parlamento da Escócia aprovou nesta terça-feira (28/03) uma moção que possibilita ao governo autônomo a negociação com Londres de uma convocação de um novo referendo sobre sua independência do Reino Unido, a ser realizado entre o segundo semestre de 2018 e o início de 2019. O SNP (Partido Nacionalista Escocês), liderado pela primeira-ministra Nicola Sturgeon, conseguiu o respaldo necessário à proposta com 69 votos a favor e 50 contra.


A Escócia, como o restante do Reino Unido, se encontra em uma bifurcação", disse a líder do SNP, que após sete horas de discussão somou os seis votos do Partido Verde aos seus 63 deputados para obter a maioria em uma câmara com 129 cadeiras. A discussão, que havia sido programada para a quarta-feira passada (22/03), foi suspensa devido a um atentado nas imediações do parlamento em Londres, que acabou com cinco mortes.


A decisão ocorre um dia antes da ativação do artigo 50 do Tratado de Lisboa, que iniciará um período de dois anos em que se realizará o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, conhecido como Brexit. Sturgeon afirmou que, com o referendo, os escoceses poderão “escolher entre o Brexit ou se transformar em um país independente”. No ano passado, quando o Reino Unido decidiu sair da União Europeia, a Escócia e a Irlanda no Norte votaram por permanecer na UE.


“Quando o artigo 50 do Tratado de Lisboa for ativado amanhã, mudanças ao nosso país se tornarão inevitáveis. Haverá impacto no comércio, em investimentos e padrão de vida, e um impacto na própria natureza da sociedade em que vivemos”, afirmou Sturgeon.


Opera Mundi

Nenhum comentário:

Postar um comentário