segunda-feira, 20 de março de 2017

O mundo rejeita a carne brasileira

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, tentará pôr fim ao embargo da carne brasileira pela China. Uma videoconferência com autoridades chinesas está marcada para as 21h (horário de Brasília) desta segunda-feira (20).

Segundo o Ministério da Agricultura, a China decidiu reter temporariamente as mercadorias brasileiras nos portos do país até que o governo brasileiro apresente explicações mais detalhadas.

Nota do site do ministério informa que o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) confirmou que a China pediu ao governo brasileiro explicações sobre a Operação Carne Fraca, e que, até receber as informações, o país não desembarcará as carnes importadas do Brasil. Maggi, segundo o comunicado, afirma que o Brasil dará todos os esclarecimentos aos chineses o mais rápido possível. O ministro participará de videoconferência com autoridades chinesas logo mais à noite para prestar esclarecimentos.

Chile - O Chile está barrando temporariamente importações de carne do Brasil após o escândalo sobre o suposto pagamento de propinas a agentes de fiscalização sanitária, divulgado pela Polícia Federal na sexta-feira (17), disse o ministério de Agricultura chileno nesta segunda-feira (20).

Também nesta segunda-feira, o presidente Michel Temer tem tentado acalmar temores em relação à carne brasileira, um produto-chave para as exportações do país, após a operação da PF na semana passada anunciar investigações sobre o possível pagamento de propinas por empresas do setor frigorífico para ocultar condições inadequadas dos produtos.

Coreia do Sul - A Coreia do Sul anunciou no último sábado (18) embargo às conservas feitas com base na carne bovina oriunda do Brasil, alegando possibilidade de contaminação pela doença da vaca louca. De janeiro a outubro, os sul-coreanos compraram 15 toneladas de carne processada brasileira, o equivalente a US$ 48,4 mil. O volume, segundo o ministério, é inferior aos dos demais países que também suspenderam suas importações.

Europa - A missão Europeia disse nesta segunda-feira (20) que está monitorando as importações de carne e exigiu que o Brasil suspenda exportação de empresas envolvidas na Operação Carne Fraca temporariamente. O nome de nenhuma empresa foi citado.

"A Comissão garantirá que quaisquer dos estabelecimentos implicados na fraude sejam suspensos de exportar para a União Europeia", disse o porta-voz da Comissão Europeia Enrico Brivio. Questionado sobre o tipo de carne envolvida na investigação - e que terá a compra suspensa -, o porta-voz afirmou que, de acordo com relatos iniciais, trata-se de frango, em sua maior parte.

O Brasil é o segundo maior produtor de carne bovina do mundo e o maior exportador. O setor vendeu para mais de 150 países no ano passado e agora se preocupa com os impactos negativos do esquema de venda de carne supostamente adulterada.

Com informações de Folha (SP), Estadão, Agência Brasil e Portal G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário