sexta-feira, 3 de março de 2017

Jornal francês revela suspeitas de corrupção nos Jogos Olímpicos do Rio




O jornal francês Le Monde revela suspeitas de corrupção na atribuição dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio. Três dias antes da escolha da sede, 2 de outubro de 2009, um empresário brasileiro pagou US$ 1,5 milhões (cerca de R$ 4,5 milhões) para o filho de um membro do COI.

Uma novela triste. Havia, em primeiro lugar, recorrentes escândalos em torno das etapas de construção. Então, recentemente, o episódio inglório apenas alguns meses após a grande festa olímpica, como a imagem mítica do Maracanã.

E como se as nuvens já não eram bastante escuras e muitos, para que um novo aviso de tempestade é anunciada sobre o Rio e seus Jogos Olímpicos, realizados em agosto de 2016.

Alegadamente, a justiça francesa tem provas concretas implicando a integridade do processo de atribuição dos Jogos Olímpicos. Rio tem enganado. O jornal francês Le Monde revela que uma empresa ligada a um rico empresário brasileiro pagou em 29 de setembro de 2009, três dias antes da eleição da cidade anfitriã, US$ 1,5 milhões (Cerca de R$ 4,5 milhões) para o filho de Lamine Diack, então presidente da Federação Internacional de Atletismo, a maior federação do Olimpismo, e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI).

"Sim, nós podemos! "

Magistrados suspeitam de manobras destinadas a comprar os votos dos membros do COI na nomeação. Na França, uma investigação preliminar foi aberta em dezembro de 2015 pelo procurador financeiro nacional que tinha vindo a trabalhar por alguns meses em suspeitas de corrupção .

Para entender o caso, é necessário um flashback. No dia 02 de outubro de 2009, Barack Obama faz um rápido passeio em Copenhague, na Dinamarca. No mesmo dia, o COI teve que decidir qual seria a cidade- sede dos Jogos em 2016. O presidente dos Estados Unidos mudou-se para a Dinamarca para fazer um discurso ", como um habitante muito orgulhoso da cidade de Chicago", antes de os membros da instituição Olímpica se reunirem no congresso.

Infelizmente, nem a sua presença nem a de sua esposa, Michelle, foram suficientes para garantir a vitória dos Estados Unidos. Horas mais tarde, Chicago teve sua candidatura eliminada.

Dos quatro candidatos, a luta ficou apertada. Certamente, Madrid ganhou a primeira votação (28 votos) para o Rio (26), Tóquio (22) e Chicago (18), mas a dinâmica mudou na segunda rodada para o Rio. Na terceira e última rodada, após a eliminação de Tóquio, a cidade Carioca ganhou de Madri (66 votos contra 32).

Vistos em Copenhague, Lula e Pelé puderam se alegrar: pela primeira vez na sua história, a América do Sul iria sediar os Jogos Olímpicos.


Le Monde (França) com tradução de Taís Paranhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário