quarta-feira, 22 de março de 2017

Índios ganham representação no Conselho Estadual de Direitos Humanos

Maiza dos Santos Silva foi indicada pela população indígena como representante titular do segmento no Conselho Estadual de Direitos Humanos (CEDH). Mariana Monteiro será a suplente. A oficialização aconteceu durante reunião no município de Cabrobó, no Sertão pernambucano, na sexta-feira (17/03). Composto por 15 integrantes, o CEDH, que é tripartite, já contava com representação da sociedade civil, órgão governamentais e dos povos tradicionais (ciganos, ribeirinhos, terreiro, quilombola e matriz africana), faltando apenas a representação indígena.

“Muito importante estar representando o povo indígena de Pernambuco. Somos 45 mil. Vamos lutar pela defesa dos nossos direitos. A cada dia e desde muitos anos a gente passa por um processo de discriminação e aceitação na sociedade. E agora, vamos trabalhar para que os direitos sejam garantidos conforme diz a Constituição”, disse Maysa. 

Cacique da aldeia Trucá, Gilberto Francisco da Silva, mais conhecido como Cacique Bertinho, avaliou positivamente o ingresso da representação indígena no CEDH. “É muito importante a representação da Maysa na defesa dos nossos direitos. Nós que somos de comunidades tradicionais, sofremos com o preconceito e a discriminação, e tendo um representante dentro dessa comissão vai ser muito bom para nos ajudar a enfrentar esses casos de violência que vivenciamos no dia a dia”, destacou.

Na comitiva que participou da oficialização da nova integrante do conselho, estavam os conselheiros Ary Siqueira, representante governamental; Enildo Santos, conselheiro titular do povo cigano; José Fernandes, conselheiro do povo ribeirinho.

O CEDH  é um órgão autônomo e deliberativo da política estadual de Direitos Humanos. Segundo o artigo 1º da lei de criação do Conselho - 12.160 de 28 de dezembro de 2001, sua finalidade é “promover a eficácia das normas vigentes de defesa dos Direitos Humanos, consagrados na Constituição Federativa do Brasil, na Declaração Americana dos Direitos Humanos e Deveres Fundamentais do Homem e na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Imprensa SEDH - PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário