quinta-feira, 16 de março de 2017

Guilherme de Pádua se casa de novo

Guilherme de Pádua está casado pela terceira vez. A cerimônia aconteceu no civil, na última terça-feira, 14, e levantou várias questões. Entre elas o que levaria uma mulher a se casar com o ex-ator, condenado por matar Daniella Perez, em 1992. Juliana de Assis Lacerda, de 30 anos, a atual mulher de Guilherme, conversou com o EXTRA e falou sobre o relacionamento, preconceito e polêmicas. “Desde o começo, já sabia quem ele era e nunca me preocupei com o passado, porque na igreja ele é acompanhado há 17 anos por muitos pastores sérios e sei do histórico dele, sei também que o Guilherme realmente mudou desde que se converteu”, justifica a maquiadora formada em moda.

Ela conta que já esperava pelas pedradas que poderiam estar por vir. “Conheço muitas pessoas que o acompanharam todos esses anos e por isso não me preocupei. E claro que sei das perseguições que ele sofre pela mídia e pela sociedade, mas isso não me abala hoje, pois já pensei muito sobre isso e estou disposta a enfrentar com ele todas situações”, pondera Juliana.

O começo do namoro

Juliana e Guilherme se conheceram no trabalho de evangelização que mantêm nos presídios de Minas Gerais, através da Igreja Batista da Lagoinha. Ela vinha de um relacionamento de cinco anos e estava solteira há um quando se encontraram. “Na verdade fiquei atraída por ele por ser uma pessoa muito cativante, é muito voltado à obra de Deus, se preocupa com.todos e tem um coração enorme. Pensamos em namorar, mas depois ambos ficamos receosos. Eu, por saber que não seria fácil ser sua esposa, ele, por medo de ser novamente abandonado. Ficamos um bom tempo apenas como amigos e acabávamos sempre nos olhando novamente até que um dia tomamos coragem e decidimos ficar juntos”, relata.

Passado é passado

A maquiadora tinha apenas 6 anos quando Guilherme foi preso. Os dois nunca conversaram sobre o fato. “Para mim não adianta remexer em algo que não pode ser mudado. Preciso ter certeza de quem.ele é hoje, porque é hoje que estou com ele e não no passado”, garante. O casamento no religioso acontece dia 12 de maio sem grandes festas, mas com muitos amigos e as famílias dos noivos. “Ainda estamos decidindo quanto à festa porque, na verdade, somos pessoas simples, não ‘ostentamos’ nada, mas queremos, sim, uma cerimônia com muitos irmãos, até porque temos a graça de possuir muitos”, diz ela, que já pensa em ser mãe: “Quero um filho só, mas não vou decidir isso sozinha”.

Casar com um ex-detento

Juliana ouviu a mesma pergunta durante meses: “Você quer mesmo se casar com o Guilherme?”: “Esta pergunta foi feita por diversos pastores, professores do curso de noivos, fui muito confrontada e creio que a melhor resposta para isso seja: casei com o Guilherme porque o amo de verdade e ele é a realização de um sonho em minha vida. Ele é um homem maravilhoso, só quem o conhece sabe o quanto. Ele não é rico, tem um passado triste, mas, mesmo assim, costumo dizer que ele é o meu marido cem vezes mais”.

Jornal Extra (Rio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário