quinta-feira, 9 de março de 2017

#DiaDaMulher - Menina sem nome

Ela tinha apenas oito anos, quando foi encontrada morta na Praia do Pina, no Recife, no dia 23 de julho de 1970. Estava nua, com mãos amarradas para trás e uma corda envolvendo seu pescoço. Laudo do IML na época afirmava que a menina havia morrido de "asfixia por sufocação". Ela foi amarrada ainda viva e sufocada com o rosto sendo pressionado contra a areia da praia. A foto ao lado é a única imagem que se tem dela, que ficou conhecida como "A Menina Sem Nome". 

Um homem acusado pela morte da menina, o mecânico Geraldo Magno de Oliveira, de 22 anos, confessou o crime e disse que sempre a via perambulando pelas ruas do bairro do Pina. No depoimento seguinte, ele negou autoria do crime e chegou a dizer que fora torturado por policiais. Recolhido a um presídio na Ilha de Itamaracá, foi assassinado antes de ser julgado.

Sepultada no Cemitério de Santo Amaro, a Menina Sem Nome foi "canonizada" pelo povo. O túmulo é um dos mais visitados, principalmente no Dia de Finados. No local, pessoas depositam cartas, bonecas, doces e fazem orações, agradecendo por "milagres alcançados".

Nenhum comentário:

Postar um comentário