sexta-feira, 3 de março de 2017

Deputado mexicano escala o muro para mostrar que plano de Trump é "absurdo"

O deputado mexicano Braulio Guerra (foto) escalou a cerca que divide alguns trechos da fronteira dos Estados Unidos com o México nesta quarta-feira (01/03) para provar quão “absurdo” é o plano do presidente dos EUA, Donald Trump, de construir um muro para impedir a entrada de imigrantes. Guerra, deputado pelo estado de Querétaro, defendeu a “boa vizinhança e ter relações amistosas que se traduzam em bons termos econômicos e desenvolvimento para os dois países”.

“Estou sentado no muro que divide a fronteira entre México e Estados Unidos”, diz Guerra de cima do muro em Tijuana, na fronteira com San Diego, em um vídeo publicado no Twitter, afirmando que, apesar dos 8 metros de altura, “é simples subir”. Ele também diz que “seria muito simples passar para o lado dos Estados Unidos, o que deixa em evidência que é totalmente desnecessário e absurdo construir um muro que custe 15 bilhões de dólares”.

O deputado do PRI (Partido Revolucionario Institucional), do presidente Enrique Peña Nieto, declarou que o projeto de Donald Trump “ofende e prejudica” a boa vizinhança entre os dois países, lembrando que “direitos humanos, princípios e dignidade são inegociáveis”. “Ser bons vizinhos e ajudar mutuamente é poder melhorar a relação e deter o fluxo migratório”, declarou Guerra.

O deputado ainda anunciou a intenção da Câmara de Deputados de apresentar iniciativas que incentivam empresas a contratarem mexicanos repatriados, além de arrecadar mais recursos para a proteção dos migrantes mexicanos nos Estados Unidos. “O que o repatriado necessita é comer, um emprego, é se integrar ao setor produtivo”, argumentou.

A construção de um muro na fronteira entre os dois países é uma das prioridades do governo de Donald Trump, que assinou no dia 25 de janeiro uma ordem executiva que destina verbas federais para o projeto. Segundo o governo norte-americano, uma das opções para arcar com os custos do muro seria a cobrança de impostos sobre produtos mexicanos.

Por sua vez, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou que “lamenta e reprova” a decisão do presidente dos Estados Unidos e reiterou que o país não pagará pela barreira, como insiste Trump. "Lamento e reprovo a decisão dos Estados Unidos de continuar a construção de um muro que, há anos, em lugar de nos unir, nos divide. O México não acredita em muros. Já disse várias vezes, o México não pagará nenhum muro", afirmou.

Opera Mundi

Nenhum comentário:

Postar um comentário