sábado, 25 de março de 2017

Acusado de chacina em Portugal está preso

Antônio Adelino Briote (foto), 62 anos, suspeito do quádruplo homicídio ocorrido ontem em Barcelos (a 372 km de Lisboa), chegou hoje ao Tribunal de Braga às 9h20 (6h20 no horário de Brasília), para ser ouvido em primeiro interrogatório judicial. O interrogatório terá terminado cerca das 13h (10h em Brasília), tendo o homem mantido o silêncio. Ficou em prisão preventiva, acusado de quatro crimes de homicídio qualificado.

A decisão de um juiz de instrução criminal do Tribunal de Braga foi justificada pelo fato do acusado ser "potencialmente perigoso, arriscado a fugir e a obstruir o inquérito, além de perturbar a ordem pública". O homem saiu do tribunal de cabeça tapada por um casaco e foi vaiado por populares, tendo sido conduzido ao Estabelecimento Prisional de Braga. O acusado ainda não tem advogado. A acusação é de quádruplo homicídio e de um crime de aborto (o feto da vítima grávida de 37 anos). 

Vítimas - António do Vale, de 84 anos e Glória do Vale, de 80 anos, eram aposentados e foram as primeiras vítimas do vizinho, a quem chamava de "Lino". Maria do Sameiro Fernandes, de 60 anos, era cuidadora de idosos e foi assassinada em plena rua; e a camareira Marisa Cardoso (foto), a grávida de 37 anos cujo bebê também acabou morrendo. Marisa vivia com marido e a filha de 10 anos. Os médicos ainda tentaram salvar o recém nascido. No entanto, Marisa já não tinha sinais vitais.

Briote  teria prometido vingar-se dos vizinhos no âmbito de um processo em que foi condenado por violência doméstica, por não testemunharem a seu favor. O caso de violência ocorrera há dois anos, quando o acusado havia agredido sua filha (que estava grávida) e a avó materna dela. Na época, o homem foi condenado numa pena de prisão de três anos e dois meses. No entanto, a justiça o liberou da pena de detenção. A ex-mulher junto com a mãe e os filhos emigraram para a França. Testemunhas afirmaram que se os familiares de Lino estivessem ainda na cidade, certamente seriam mortos junto com os vizinhos. 

Essa agressão à ex-sogra e à filha valeram a Adelino Briote uma condenação de três anos e dois meses com pena suspensa, em novembro passado, segundo a polícia E na altura, contavam os habitantes de São Veríssimo, o homem terá prometido vingança dos vizinhos, uns que terão testemunhado contra ele, outros que terão recusado testemunhar a seu favor.

Diário de Notícias, Público, CM Notícias (Portugal)
Faro de Vigo (Espanha)
Arquivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário