quinta-feira, 16 de março de 2017

Acampamento do Levante Popular de jovens em Serra Talhada

Nos próximos dias 18 e 19 de março a cidade de Serra Talhada, no Sertão pernambucano, vai sediar o 1º Acampamento Regional do Levante Popular da Juventude no Pajeú. Mais de 200 jovens da região estarão juntos para discutirem o cenário político nacional, a importância da organização da juventude para impedir os retrocessos em curso e o uso da cultural popular como ferramenta de luta.

O militante do Levante Popular da Juventude e estudante de fisioterapia José Mário Guerra é um dos que está a frente da organização do Acampamento Regional do Levante. Mário afirma que o grande objetivo do Acampamento é mobilizar e organizar a juventude da região para impedir os retrocessos colocados pela agenda política. “Queremos massificar o número de jovens que ousam lutar nas escolas, universidades, nos bairros e no campo”, diz o estudante.

Para ele, a organização é fundamental para conter a retirada de direitos e, posteriormente, conquistar avanços. “Sabemos que o governo sem votos e o Congresso estão impondo à sociedade brasileira muitos cortes de direitos, tanto sociais como trabalhistas. Mas precisamos resistir”, afirma Guerra. “A juventude precisa estar unida para mostrar que não aceitamos que retirem os nossos direitos. Nós queremos barrar qualquer forma de retrocesso”.

Segundo Mário, a juventude da classe trabalhadora precisa estar organizada e em constante diálogo com toda a classe, contribuindo para a organização e unidade da mesma, visando a construção do que ele chama de “Projeto Popular para o Brasil”. Segundo Mário Guerra, o “Projeto Popular” de Nação prevê mais direitos para o povo trabalhador, a mídia democratizada e comprometida com as causas populares, mais acesso à cultura, educação e transporte de qualidade, além do fim do machismo, do racismo e da LGBTfobia.

O evento terá um espaço de análise do cenário político nacional facilitada por Felipo Bona, militante da Consulta Popular e professor do curso de Direito da Faculdade de Integração do Sertão (FIS Serra Talhada). A programação prevê ainda rodas de conversa sobre negritude, feminismo e com a temática LGBT, seguido por espaços para debater o movimento estudantil, tanto universitário quanto secundarista.

O Acampamento também recebe dirigentes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), da Federação dos Trabalhadores em Agricultura de Pernambuco (FETAPE), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Pastoral da Juventude Rural (PJR), os sindicatos dos Trabalhadores em Educação de Serra Talhada (SINTEST) e de Pernambuco (SINTEPE). Os convidados falarão sobre a importância da organização da juventude.

A programação prevê ainda muita troca cultural. O Acampamento será aberto por uma apresentação do grupo de xaxado Cabras de Lampião. Haverá também um espaço de oficinas culturais de maracatu, facilitado pela Cia Dançarte; turbante, facilitado pelo Coletivo Fuáh; além de oficinas de hip hop, capoeira e free step. A noite cultural do sábado contará com apresentações do Maracatu Nação Império, das bandas de rock Doppamina e Democracia Entre Aspas e o grupo de rap P1 Rappers, de Juazeiro da Bahia.

A estudante secundarista Bruna Vasconcelos se diz empolgada para participar do 1º Acampamento Regional do Levante. “Teremos jovens de várias cidades, idades e estilos, trazendo seus elementos culturais, artísticos e históricos para o acampamento. Acho que vai ser um espaço muito rico”, avalia. Para ela, o encontro vai fortalecer a formação e organização da juventude de Serra Talhada e municípios vizinhos. “Precisamos nos envolver. Nessa luta não é só a ‘minha casa’ que importa, mas os nossos direitos. E se investirmos na formação da juventude vamos fortalecer o movimento na região”.

Os jovens ficarão "acampados" nas salas de aula do Colégio Municipal Cônego Torres, na avenida Afonso Magalhães, centro de Serra Talhada. O colégio dispõe de refeitório e espaço para banho. Os jovens devem levar o chamado "kit militante", que inclui colchão, lençol, prato, talheres, toalha e material de higiene pessoal. Todas as refeições são gratuitas no Acampamento. Os alimentos foram conseguidos em parceria com organizações de trabalhadores rurais da região, como a FETAPE.

A programação tem início na manhã do sábado, mas expectativa é que todos os participantes oriundos de outras cidades cheguem até as 17h da sexta-feira (17), quando haverá um ato contra a reforma da previdência proposta pelo presidente não-eleito Michel Temer. Além dos jovens de Serra Talhada, o Acampamento do Levante espera participantes dos municípios de Afogados da Ingazeira, Flores, Tabira, Carnaíba, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Ouricuri, Salgueiro, Petrolândia, Tupanatinga, Arcoverde, Petrolina, Caruaru e Recife.

Brasil de Fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário