segunda-feira, 6 de março de 2017

A Bela, a Fera e a homofobia

Um cinema de Alabama, nos Estados Unidos, cancelou os planos de exibir A Bela e a Fera por causa da inclusão de um personagem gay no filme. A informação foi divulgada na página do Henagar Drive-In Theatre, no Facebook.

“Desde o dia 16 de dezembro o Henagar Drive-In está sob nova direção”, começa a nota. “É com grande tristeza que comuincamos que não iremos exibir o filme A Bela e a Fera quando estrear”. Logo depois vem a explicação: “Para aqueles que não sabem, a Bela e a Fera está ‘estreando’ seu primeiro personagem gay. O produtor ainda diz que ao final do filme ‘haverá uma surpresa para os casais homossexuais'”.

A publicação continua: “Se nós não podemos levar nossa neta de 11 anos e o neto de oito anos para ver um filme, então nós não assistiremos. Se eu não posso sentar para ver um filme com Deus ou Jesus ao meu lado, então nós não exibiremos. Antes de tudo, nós somos cristãos”. O texto termina dizendo que a organização não desafiará a Bíblia e que continuará exibindo filmes sem a “preocupação de sexo, nudez e homossexualidade”.

Em A Bela e a Fera, da Disney, o personagem LeFou (Josh Gad) é o sidekick do vilão Gaston (Luke Evans). Ele flerta com o personagem de Evans em vários momentos do filme e deve aparecer dançando com outro homem.

Rússia - O deputado russo Vitali Milonov recomendou neste sábado (4) que o ministério da Cultura avalie bem o novo filme da Disney, "A bela e a fera", por achar que a obra infringe uma lei que proíbe "a propaganda gay".

Milonov classificou o filme, uma adaptação com personagens reais da famosa história, de "descarada propaganda do pecado e das relações sexuais pervertidas", em carta enviada ao ministro da Cultura, Vladimir Medinski, à qual teve acesso a agência estatal RIA Novosti.

Bill Condon, o diretor do filme que vai estrear em 16 de março na Rússia, revelou que mostrará "o primeiro momento gay" em um filme da Disney, apesar de alguns críticos já terem anunciado que as imagens estão longe de ser escandalosas.

Os protagonistas, os britânicos Emma Watson e Dan Stevens, serão heterossexuais, mas o ajudante LeFou, braço-direito de Gaston interpretado pelo ator americano Josh Gad, aparecerá confuso em relação à própria sexualidade.

Milonov pediu ao ministro da Cultura que organize uma projeção especial antes da estreia, a fim de "tomar medidas para vetar totalmente sua exibição se forem encontrados elementos de propaganda homossexual".

O deputado é um dos principais impulsores da lei russa contra "propaganda gay", assinada pelo presidente Vladimir Putin em 2013.

Essa lei, que levantou muitas críticas na comunidade internacional, proíbe a distribuição de informações capazes de despertar o interesse de menores pelas "relações sexuais não tradicionais", o que é utilizado para vetar as manifestações do orgulho gay no país.

Com Emma Watson e Dan Stevens, A Bela e a Fera estreia no próximo dia 16 de março.

Com informações da Coluna Repórter Entre Linhas - Jornal O Povo (CE) e do Portal G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário