segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Portugal: fantasia de 'menino refugiado' é posto à venda para Carnaval e, após críticas, tira produto do catálogo

A fantasia foi descoberta por uma mãe que procurava uma roupa de Carnaval para o filho. Ao se deparar com a de “menino refugiado”, decidiu fazer uma denúncia à ONG portuguesa SOS Racismo. Foi quando, então, a loja “Casa do Carnaval” decidiu primeiro mudar o nome da roupa e, depois, tirá-la de catálogo.

A origem de toda a confusão é, provavelmente, um erro de tradução. A roupa é utilizada por crianças britânicas até hoje para lembrar o dia em que menores foram evacuados das grandes cidades do país durante a Segunda Guerra Mundial – virando refugiados. No dia em que se recorda a operação, elas vão às escolas vestidas com a mesma indumentária.

Nuno Santos, dono da loja, afirmou que o estabelecimento limitou-se a “traduzir” o nome da peça (que continha a palavra refugiados) que veio diretamente do fornecedor e, “por um lapso”, foi colocada no site. "Passou-nos, não o devíamos ter colocado, e pedimos desculpas, não queremos ferir suscetibilidades de ninguém", afirmou o comerciante.

Opera Mundi

Nenhum comentário:

Postar um comentário