sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Incubação de empresas do Itep incentiva negócios de base tecnológica em Pernambuco

Imagine um sistema de busca de peças automotivas via internet que conecta as oficinas e os usuários do setor automotivo. Agora pense em um game que funciona como treinamento, transformando as tarefas do dia a dia em missões que precisam ser jogadas e vencidas. Ou ainda, o uso de lasers de alta potência para fabricação de peças em aço e alumínio. Ideias como essas já saíram do papel e tornaram-se realidade com o suporte do Programa de Incubação de Empresas do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep).

Pioneiro na incubação de empresas em Pernambuco, o Itep investe no desenvolvimento de empresas de base tecnológica desde a década de 90, quando não se imaginava que Pernambuco seria um importante polo de tecnologia e economia criativa. Hoje, o instituto conta com incubadoras no Recife (Incubatep), Caruaru (Itac), Serra Talhada (Incubadora do Pajeú) e Petrolina (Invasf).

O programa, que está com inscrições abertas até o dia 20 de março para novos empreendimentos no site do Itep (www.itep.br/index.php/edital-incubacao-2017 ), é uma oportunidade para decolar projetos iniciantes em um país cuja taxa de fechamento de empresas com até dois anos de vida chega a 90%, segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Os empreendimentos incubados permanecem cerca de dois anos no instituto, período em que passam por diversas capacitações e atividades voltadas para o mercado. “São ferramentas gerenciais e empresariais que, muitas vezes, não são vistas nas universidades e são fundamentais para as empresas iniciantes. Também oferecemos infraestrutura com ambientes compartilhados e salas individuais para todas as empresas”, conta Geraldo Magela, gerente do programa de incubação e da Incubatep.

CASES DE SUCESSO - Desde que foi iniciado, o programa de incubação de empresas do Itep já apoiou mais de 100 projetos empreendedores, sendo grande parte deles hoje empresas consolidadas no mercado. Entre os cases de sucesso estão a TMED, voltada ao desenvolvimento de novas tecnologias para o segmento médico-hospitalar; a Bottom-Up, cujo carro-chefe são soluções em telemetria; a BioLogicus, empresa de biotecnologia que utiliza probióticos para desenvolvimento produtos naturais; e a Locus Automação, que atua no setor de softwares de gestão.

“Passamos por todo o processo de incubação no Itep. Entramos com uma ideia e saímos como uma empresa consolidada. A credibilidade do Itep, a estrutura oferecida, os cursos, o networking; tudo foi muito positivo. Hoje nossos produtos estão presentes em mais de 60 pontos de venda em Pernambuco, além de outros estados como Rio de Janeiro, Brasília e Belém”, conta Djalma Marques, presidente da BioLogicus.

“Participar de um processo de incubação endossa o projeto, pois atesta que ele já passou por uma seleção específica. Estar em uma instituição de tecnologia agrega valor à empresa e tem boa receptividade no mercado. O acesso a canais de financiamento, consultoria e formação também é de grande valia. Concluímos a incubação em 2014 e hoje nossos produtos são distribuídos em todo o Brasil”, afirma Fred Braga, sócio da Bottom Up.

O diretor executivo da Locus Automação, Bruno Rodrigues, ratifica a importância da incubação no instituto: “O Itep tem respaldo no mercado. Ser incubado em uma instituição de referência é um diferencial importante para as empresas que estão começando”.

O gerente da Incubatep destaca que o trabalho implementado pelas incubadoras é essencial não só para a consolidação de novas empresas, mas também para o fortalecimento da economia do estado de Pernambuco. “Contribuímos para o desenvolvimento local de várias formas, como no atendimento a demandas dos gargalos tecnológicos, econômicos e sociais, na geração de emprego e renda etc”, diz.

INSCRIÇÕES - O Itep está com inscrições abertas para 24 vagas em suas quatro incubadoras. Na Incubatep, no Recife, são disponibilizadas 16 vagas. Em Caruaru, na Itac, há uma vaga. Na Incubadora do Pajeú, são três vagas disponíveis; e na Invasf, em Petrolina, há quatro vagas para novos empreendimentos. Os interessados devem apresentar seus projetos, em formulário on-line (http://www.itep.br/incubatepsis/ ) até o dia 20 de março. O candidato deve indicar, no formulário de inscrição, a qual incubadora vai se candidatar. É preciso efetuar o pagamento de uma taxa de inscrição, no valor de R$ 30,00.

Podem participar pessoas físicas ou jurídicas, que queiram incubar novos negócios (produtos ou serviços) de base tecnológica. São áreas de atuação e de maior interesse ao Programa de Incubação do Itep as correlacionadas com as tecnologias para a sustentabilidade ambiental e com as atividades fins dos Núcleos de Competências do Itep: Engenharia Sustentável, Engenharia e Operação de Redes, Energia sustentável, Sustentabilidade em Matrizes Ambientais, Alimento Seguro e Sustentável e Gestão Territorial Sustentável (incluindo Logística reversa), assim como propostas de soluções tecnológicas para os seguintes APLS ou cadeias produtivas prioritárias: Laticínios, Ovinocaprinocultura, Gesso, Vitivinicultura, Moda/têxteis, Apicultura e Aquicultura.

Instituto de Tecnologia de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário