quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Doria paga ‘personal paparazzi’ para bombar nas redes

Com capacete em mãos, João Doria assume o volante de um carro turbinado e dispara no autódromo de Abu Dhabi. Alguém registra a aventura. Doria também distribui vitamina de óleo de peixe para seu secretariado. Tudo devidamente gravado em áudio e vídeo, assim como não faltou até quem fizesse a foto em que ele aparece de uniforme amarelo ao lado de amigos antes de um futebolzinho. 

Aparentemente informais, os registros do dia-a-dia do prefeito de São Paulo contam com um “personal paparazzi”. O objetivo é claro: bombar nas redes sociais.

Para isso, três pessoas se revezam no posto e o empresário paga do próprio bolso essa equipe que cuida exclusivamente de sua exposição nos diferentes canais de interação social na internet. Para a viagem oficial que está cumprindo esta semana no Oriente Médio, além de dois funcionários da prefeitura, Doria levou a tiracolo seu “sombra”.

A estratégia, já adotada pelos chamados influenciadores digitais, está surtindo efeito agora na política. Esse trabalho com Doria começou um ano e meio atrás, quando ele decidiu que seria candidato à prefeitura. Naquela época, seus posts mais comentados no Facebook conseguiam, no máximo, 200 curtidas ou 300 compartilhamentos. Agora, isso foi multiplicado por mil. Os assessores garantem que ele é hoje maior influenciador em língua portuguesa no mundo.

Ainda em 2015 o então apresentador de TV e empresário tinha cerca de 125 mil seguidores no Facebook. Ontem esse contingente estava em 1,8 milhão. Houve semana em que o alcance das publicações do prefeito chegou a 23 milhões de usuários.

Doria não tem limite de horário para se expor nas redes sociais. Tem vídeo de manhã, à tarde e à noite. O objetivo também é evidente: usa as redes para manter o personagem que ele mesmo construiu na campanha do “João Trabalhador”.

— Nosso trabalho é focado em encurtar a distância entre o gestor e as pessoas. É isso o que o João prometeu e está entregando — afirma o responsável pela equipe de mídia social do tucano, Daniel Braga.
Ele não revela e desconversa sobre o valor cobrado de Doria para bombar o prefeito nas redes.
— Barato não é. Se é caro? Comparado a quê? Posso dizer que muita gente queria ter o resultado que o João está tendo hoje — diz Braga.

Centralizador, o prefeito dá palpite em toda a produção de conteúdo do seu perfil online. Diariamente, ele mesmo grava com seu celular vídeos e encaminha para a avaliação do grupo contratado. Funcionários contam que já se tornou um vício do empresário aproveitar os deslocamentos entre um compromisso e outro para responder a perguntas e comentários deixados por seguidores nas redes.

A intimidade que o prefeito tem com a câmera também ajuda nesse processo, segundo Braga. Em 6 de fevereiro, Doria filmou sua chegada a um terminal de ônibus do extremo sul da capital paulista e, enquanto caminhava, dizia para a câmera que estava ali às 5h28 para “ver a realidade como ela é”. Foi assistido por 2,1 milhões de pessoas.

Há um monitoramento diário de conteúdo desfavorável ao prefeito. Em um vídeo assistido por 2,9 milhões de pessoas, Doria critica o ex-presidente Lula. Ele aproveitou o plantio de uma muda de pau-brasil no mês passado para chamar o petista de "o maior cara de pau de Brasil". Nem todos os 54 mil comentários do vídeo, no entanto, são elogiosos. Houve quem criticasse o tucano.



Jornal Extra (Rio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário