segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Cuidado com os acidentes de trânsito nesses dias de folia

O Brasil entra na Semana Pré-carnavalesca com inquietações que vão além da política, da economia e da segurança pública. Neste período de festa, o temor toma conta, também, das vias que cortam os focos de folia. Álcool e direção nunca combinaram, e essa união continua sendo uma das grandes preocupações para quem atua na área de saúde.

O Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, registrou 1.442 atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito em 2016. Desses, 73,6% foram com motocicletas e 13,5% envolvendo pedestres. Mais de 80% das vítimas foram do sexo masculino e 59% na faixa etária dos 20 aos 39 anos. O maior índice aconteceu nos fins de semana, entre sexta e segunda-feira: 954 pessoas deram entrada, nesses dias, no HMA, vítimas de acidentes de trânsito.

Tendo em vista que o período carnavalesco abrange justamente esses dias, com o agravante do consumo mais intenso de bebida alcoólica, os médicos alertam para a responsabilidade do motorista que bebe, para que esse entregue a direção para um amigo sóbrio ou opte pelo taxi ou transporte público. “Apesar do número de mortes no hospital ser baixo em decorrência de acidentes de trânsito, temos que pensar no grande número de jovens inválidos decorrentes desses acidentes, pois as pessoas costumam ir às festas e acreditam que serão capazes de voltar dirigindo mesmo após a ingestão da bebida alcoólica. Esse é um erro que pode custar a vida delas e de outras que, várias vezes, não têm qualquer relação com o motorista”, adverte o cirurgião geral Petrus Andrade Lima, superintendente do Hospital Miguel Arraes.

Além disso, o superintendente do HMA cita os casos de internações por acidente de trânsito: “tivemos 167 pacientes internados no hospital por complicações provocadas por acidente no ano passado. Foram fraturas que levaram à cirurgia, membros que tiveram de ser amputados ou pacientes que ficarão com deformidades permanentes. Some-se a tudo isso o tempo de recuperação em cada caso. Muitos deles poderiam ter sido evitados se o motorista tivesse mais responsabilidade na direção”, afirma dr. Petrus. E acrescenta: “os profissionais de saúde do HMA estarão de plantão neste carnaval para atender qualquer urgência e emergência. Mas nossa intenção, mesmo, é que o folião brinque sem a necessidade de atendimento médico, garantindo a volta são e salvo pra casa na Quarta-feira de Cinzas”.​

Com informações da jornalista Iana Gouveia

Nenhum comentário:

Postar um comentário