sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

As florestas verticais da China

Um arquiteto italiano está projetando um modo de diminuir a poluição na China que passa por construir arranha-céus com árvores e arbustos em cada andar. Stefano Boeri vai começar por construir duas torres na cidade de Nanquim, mas pretende criar até 2020 a primeira cidade florestal do mundo.

As torres de Nanquim terão 200 e 108 metros, respectivamente, e vão abrigar escritórios, um hotel de luxo de 247 quartos, um museu e até uma escola de arquitetura ambiental sustentável. O mais importante, contudo, é que vão ter mais de 23 espécies diferentes de árvores e cerca de 2500 arbustos.

O arquiteto já pôs esta ideia em prática em Milão, Itália, quando desenhou o Bosque Vertical. o projeto é composto por dois edifícios de 76 e 110 metros que foram construídos em 2014. Têm, em conjunto, 900 árvores e mais de 20 mil plantas e arbustos, segundo a página oficial do arquiteto. Numa superfície plana, esta vegetação ocuparia cerca de 7 mil metros quadrados de floresta.

Boeiri quer agora desenvolver o mesmo projeto na China e expandi-lo, ao ponto de construir inteiras cidades florestais, segundo o The Guardian.

"Pediram-nos para desenhar uma cidade inteira onde não há um edifício alto mas sim 100 ou 200 edifícios de vários tamanhos com árvores e plantas nas fachadas", contou o arquiteto ao jornal britânico. "Devemos começar a construir no final deste ano e imagino que até 2020 teremos a primeira cidade florestal na China".

O arquiteto prevê que os edifícios absorvam 25 toneladas de dióxido de carbono do ar de Nanquim por ano e produzam 60 quilos de oxigénio por dia. As árvores vão proteger ainda do vento e das poeiras e vão amenizar, dentro de casa a temperatura,  a umidade e a poluição sonora, enquanto deixam o sol entrar por mais tempo.


Veja o projeto do arquiteto Stefano Boeri:



Diario de Notícias (Portugal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário