sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Telhado orgânico



Em meio ao cinza tão característico das telhas de um centro comercial de uma grande cidade existe um oásis de esperança: um telhado eco produtivo, autossustentável e voltado para o desenvolvimento comunitário. São 400 metros quadrados de hortas orgânicas, montadas em estruturas ecológicas de madeira, em cima de um casarão antigo, no coração do Recife, onde funciona a sede da Comunidade dos Pequenos Profetas (CPP) - uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, que, há mais de 30 anos, atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.  O Projeto Telhado Eco Produtivo – semeando novos horizontes, desenvolvido pela própria ONG, é muito mais do que um espaço físico dedicado à produção orgânica de hortaliças. É um espaço que vem discutir e estimular ações de sustentabilidade e responsabilidade socioambiental, bem como democratizar o acesso aos conceitos e práticas de produção orgânica e alimentação saudável em comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano no Recife. 

O Telhado Eco Produtivo funciona como uma oficina de conhecimento autossustentável, onde os jovens atendidos pela ONG e seus familiares têm informações e orientações práticas sobre cultivo orgânico de hortaliças e cuidados com o meio ambiente e são responsáveis pela produção e colheita dos orgânicos, que, em breve, ficarão disponíveis para as comunidades numa feirinha, realizada quinzenalmente, com os produtos a preço populares. Os participantes recebem também apoio técnico para produzir suas próprias hortas em casa. A iniciativa conta ainda com uma cozinha-apoio para aulas de gastronomia orgânica e alimentação saudável, e, em breve, terá uma sala eco educativa, onde ocorrerão exibições de vídeos e palestras com temáticas socioambientais. O Telhado Eco Produtivo também está aberto para receber visitas agendadas de universidades, grupos escolares e outras organizações interessadas. Para os visitantes, será cobrada uma taxa simbólica, que ajudará na compra de sementes e materiais para o cultivo das hortas. 

"Eu vejo este projeto como o primeiro passo para estimular grupos e pessoas comuns para uma pratica alimentar mais saudável, aliada à responsabilidade socioambiental e a uma visão voltada para a sustentabilidade. Nós somos uma instituição que atende crianças e jovens, e é nessa faixa etária que se fixam atitudes e práticas que poderão persistir por toda idade adulta. Acredito que, como cidadãos, estamos contribuindo para uma cidade melhor e mais verde, para a formação de uma geração com uma nova mentalidade ecológica e abertura para a alimentação saudável. Em geral, até hoje, as iniciativas de agricultura orgânica vêm das áreas rurais próximas da cidade. O projeto traz um novo olhar para dentro da cidade, reforçando o elo perdido do homem e o campo. Além disso, traz uma proposta interessante de estimular a promoção do acesso das comunidades desfavorecidas socioeconomicamente à produção orgânica a um preço justo e a uma conscientização maior sobre a importância da alimentação de qualidade, o que não acontece hoje, onde podemos ver feiras orgânicas tradicionais voltadas para um público de classe social com maior poder de compra e acesso à informação", enfatiza Demetrius Demetrio, gestor da Comunidade dos Pequenos Profetas. 

As obras do projeto foram iniciadas em maio de 2016, a partir de reformas no prédio e montagem da estrutura do telhado, que conta com tecnologia japonesa e sistema de irrigação automático, que ainda este ano será estimulado por painéis de energia solar que serão instalados no ambiente. Foram seis meses de muito trabalho e dedicação, que envolveu toda a equipe técnica da CPP (chef de cozinha, assistentes sociais, comunicadores, instrutores, psicólogo, educadores e auxiliares administrativos), os jovens atendidos pela instituição, engenheiro florestal, engenheiro civil, pedreiros, arquiteta, patrocinadores e parceiros. Todos trabalhando em prol de uma ideia que começou mesmo em 2015, num ano em que o prédio sede da CPP sofreu uma série de arrombamentos que resultaram em roubos de equipamentos e num prejuízo financeiro de mais de 47 mil reais. 

O fato é que os arrombadores entravam sempre pelo telhado. De tanto subir para averiguar por onde as invasões aconteciam, o gestor da ONG, Demetrius Demetrio,  teve um insight positivo de reverter a situação aproveitando aquele espaço para realizar atividades construtivas. Como há seis anos a CPP já vinha desenvolvendo um trabalho com Hortas Verticais junto às comunidades dos jovens atendidos, no qual eles aprendiam a montar hortas com garrafas pet recolhidas do Rio Capibaribe, o gestor resolveu aprofundar o tema "hortas" e investir ainda mais na proposta de sustentabilidade, responsabilidade socioambiental e gastronomia saudável. Ele lembrou também dos tempos em que viveu na Europa, onde sempre via muitas casas com telhados verdes (talvez, uma influência dos "Jardins suspensos da Babilônia"). E, num processo de reflexão sobre como encarar e superar as adversidades e na percepção das necessidades e potencialidades urbanas e naturais, foi que surgiu Projeto Telhado Eco Produtivo – semeando novos horizontes. 

Com a ideia em mente, Demetrius foi buscar empresas especializadas no assunto, a exemplo da Eco Green Ideias Sustentáveis e de profissionais como o professor Claudio Mota, engenheiro civil da UFPE, para checar a viabilidade do projeto e realizar as obras. Com a constatação e os laudos de sinalização positiva, a CPP então apresentou a proposta aos parceiros e patrocinadores e conseguiu angariar recursos para construir a estrutura e colocar o projeto em prática. O Telhado então ganhou patrocínio da PETROBRAS, através do Programa Petrobras Socioambiental, além do suporte financeiro e incentivos da Förderverein Straßenkinder in Recife e.V.  -  Havixbeck (Alemanha), Solvida Rede de Parceiros (Brasil), Aktions Kreis Pater Beda (Alemanha), BMZ Ministério de Cooperação Alemã, e a  empresa Iracema Scharf Beachwear (Alemanha). O “Projeto Telhado Eco Produtivo – semeando novos horizontes” beneficiará, direta e indiretamente, mais de 1.500 mil pessoas de comunidades pouco desenvolvidas do Recife.  O lançamento da primeira etapa do projeto (que corresponde a 80% da obra) está acontecendo durante todo o mês de novembro de 2016. A ONG ainda está buscando parceiros e investidores para concluir os 20% restantes, que concernem à implantação das placas de energia solar, equipagem da sala eco educativa e à finalização de uma parte da estrutura de madeira do telhado.

 
Dinâmica e produtividade da horta

Visto de cima, o telhado da Comunidade dos Pequenos Profetas mais parece um oásis no meio do bairro de São José, no Recife. O verde se destaca ali entre o cinza tão característico das telhas de um centro comercial de uma grande cidade. É um ponto de esperança. Uma esperança produtiva e ecológica que vai beneficiar mais de 1.500 pessoas de comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano.  São verduras, ervas condimentares, hortaliças folhosas e talosas, que gerarão uma produção anual estimada em mais de meia tonelada de alimentos.   

Tecnicamente, a horta do Telhado Eco Produtivo está montada numa estrutura de madeira certificada, distribuída em 19 canteiros, dos quais 12 medem 4,8 m², dois medem 4 m², outros dois com 7,92 m², mais dois com 5,88 m² e um medindo 6,33 m². O modo como estão organizados (em fileiras paralelas e em degraus como uma arquibancada) formam corredores que facilitam a circulação dos cultivadores e visitantes. Aqui estão sendo plantadas espécies folhosas como Alface Mimosa Roxa, Alface Mimosa Verde, Alface Manteiga, Alface Americana, Alface Vitória de Santo Antão Verdinha, Rúcula Folha Larga, Couve, Manjericão Toscano e Arruda Graúda. Além de hortaliças talosas a exemplo do Coentro Verdão, Salsa Graúda Portuguesa e Cebolinha, e das ervas condimentares como Hortelã, Erva Cidreira e Pimenta Malagueta. A produção também inclui verduras como Pimentão Verde, Pimentão Amarelo, Pimentão Vermelho, Beterraba, Tomate Cereja, entre outros. Todos cultivados de forma orgânica, sem agrotóxicos e com aproveitamento saudável da terra. O tempo de cultivo e colheita varia de acordo com cada espécie, indo de 60 a 120 dias.

O sistema de irrigação da horta é feito por gotejamento automático, que, em breve, será estimulado a partir da energia solar captada por painéis que serão instalados no ambiente, que tem exposição plena de 8 horas diárias.  Além dos canteiros de cultivo e dos painéis, o espaço também conta com um berçário (sementeira), devidamente protegido por uma tela especial para cultivo. É neste ambiente que as sementes são germinadas e recebem cuidados especiais até atingirem uma maturidade suficiente como plantas para serem cultivadas na horta. Outro espaço que merece destaque no projeto é o jardim de flores comestíveis, que será instalado ao redor da área coberta do telhado que forma um terraço, onde serão realizadas reuniões e apresentações. E há de se destacar aqui a vista maravilhosa do mar e do Rio Capibaribe que a cobertura deste casarão de três andares proporciona.  O espaço tem capacidade para receber até 50 pessoas ao mesmo tempo.


Visitas agendadas
A partir de fevereiro, o Projeto Telhado Eco Produtivo estará recebendo visitas agendadas de grupos escolares, universidades e organizações interessadas, de segunda a sexta, no horário das 9h às 16h. O ideal é que as visitas sejam programadas com um mês de antecedência. Para tanto, os interessados devem entrar em contato pelo telefone (81) 3424-7481 ou pelo endereço eletrônico telhadoecoprodutivocpp@gmail.com.  Os visitantes pagarão uma taxa socioambiental simbólica no valor de R$ 5,00, que será revertida para a manutenção e funcionamento da horta e do projeto. A Comunidade dos Pequenos Profetas está localizada na avenida Sul, 110, no bairro de São José, Recife (PE).


SOBRE A CPP

A Comunidade dos Pequenos Profetas (CPP) é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, que há mais de 30 anos atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Recife. A entidade trabalha com projetos e iniciativas que ajudam a amenizar, combater e reverter os problemas enfrentados pelos jovens. Projetos que colaboram para a efetivação da cidadania, a valorização cultural, o respeito ao meio ambiente, o desenvolvimento comunitário e que proporcionam uma melhor qualidade de vida para as comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano. Na CPP, os meninos e meninas têm acesso a atividades educativas, artísticas, culturais, esportivas, ambientais, gastronômicas, além de contarem com acompanhamento e assistência psicológica, social, jurídica e nutricional. A instituição presta atendimento diariamente a cerca de 100 jovens. Por ano, a entidade atende aproximadamente 400 crianças e adolescentes.

Com informações da jornalista Karlilian Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário