sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Nova regra exigirá que clube tenha time feminino para disputar Libertadores

Clubes brasileiros que não tiverem um time de futebol feminino serão proibidos de disputar a Libertadores a partir de 2019. A decisão foi firmada em reunião organizada pela CBF e apresentada às equipes nacionais nesta quinta-feira (26), como parte das mudanças na Licença de Clubes da Fifa. 
Seguir o conjunto de exigências do licenciamento é necessário a todo time que deseja participar de competições da CBF, da Conmebol e da Fifa. 
Coordenador de futebol feminino da CBF comemorou a nova medida e cobrou que a regra seja seguida pelos clubes brasileiros. Atualmente, apenas sete dos 20 times da elite do futebol nacional têm equipes de mulheres.
"Peço que os clubes brasileiros com o licenciamento se organizem para fazer crescer a modalidade. A CBF já subsidia as competições e paga os custos operacionais e logísticos. O clube só precisa montar uma equipe e comissão técnica e manter seus salários. Não é difícil. Dá para fazer. No futuro dará muito retorno. Hoje, estamos quebrando o preconceito. Pais querem ver suas filhas jogando futebol. A maior dificuldade é vocês acreditarem que é preciso ter um time feminino. Não tenham medo de ter um time feminino", disse no evento.
O investimento no futebol feminino não é a única exigência do licenciamento. Para obtê-lo, os clubes terão de cumprir ações que visam, principalmente, estimular a formação de jovens atletas, aumentar a transparência nos balanços financeiros, melhorar a infraestrutura de centros de treinamento e estádios e pagar salários em dia. 
"Precisamos resgatar a credibilidade do futebol. A licença vai trazer impacto nesse sentido. Os clubes precisam ser mais transparentes em seus balanços financeiros para  reassumirem lugar com o mercado publicitário, por exemplo", avalia Reynaldo Buzzoni, diretor de Registro, Transferência e Licenciamento da CBF. 
Portal UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário