terça-feira, 6 de setembro de 2016

Cinema quebra as grades da prisão

A importância do cinema como forma de expressão cultural na sociedade moderna tornou-se inquestionável. Produções cinematográficas têm colaborado para melhor retratar a diversidade da sociedade e promover inclusão cultural. 
Por esse motivo, há quase oito anos o Centro de Reeducação da Polícia Militar – Creed tem utilizado esse recurso como forma de ressocialização para os servidores militares do Estado que cumprem penas restritivas de liberdade. Anualmente o CineCreed integra o calendário do cinema nacional, composto por três mostras, em níveis nacional, regional e estadual. 
Todas as premiações são em espécie, contemplando as produções de roteiristas do Brasil, a populaão circunvizinha e os reeducandos, que a partir dos cursos e workshops tornam-se aptos para a competição. 
O CineCreed é contribuição voluntária ao Programa Reconstruindo a Cidadania, realizada e idealizada por Francisco Pires, que tem como principal objetivo assegurar que o princípio da dignidade da pessoa humana seja exercido com os militares que cumprem penda privativa de liberdade. Além de ser um instrumento para a aplicação da Lei de Execuções Penais, de 1984, no que tange a garantia da assistência educacional dos reclusos, prevista no art. 18. 
Cursos, workshops e palestras são oferecidos à comunidade carcerária, como alternativa para ocupar o tempo ocioso durante cumprimento da pena, uma forma de assegurar a saúde física e mental dos presos, e assim, o retorno adequado à atividade de defesa social. 
“O CineCreed contempla a participação da população no processo de ressocialização dos militares estaduais no Creed, Além de assistir às mostras competitivas e votar na escolha do melhor filme, podem também instalar barraquinhas para vender lanches durante o Festival”, afirmou o idealizador do projeto, tenente coronel Francisco Pires. 
No último CineCreed houvera inscrições de 220 curtas-metragens de 23 Estados do Brasil, cada um com no máximo 20 minutos de duração e dois anos de finalização das gravações e edições. As exibições aconteceram no pátio externo da unidade prisional, das 19h às 22h, em três dias consecutivos, referentes às três mostras competitivas. Além dos filmes, os reclusos também participam com produções fotográficas quem integram o Festival. 
Segundo o diretor do Creed, tenente coronel André Luan, os expectadores costumam realizar doações de gêneros alimentícios que são repassados pelo Creed para duas instituições de caridade: a Casa do Idoso e o Centro Infantil Bom Pastor, ambas em Abreu e Lima, município no qual está localizada a unidade prisional. 
“O nosso Festival é realizado sem edital de fomento à cultura. Todos os anos sensibilizamos pessoas e empresários para a causa da ressocialização, fator importante para a segurança púbica. Bom é que sempre conseguimos patrocínios para as premiações em espécie, bem como brindes para sortear com a população, que doa os gêneros alimentícios ”, relatou o tenente coronel Francisco Pires. 
O CineCreed está concorrendo ao Prêmio Innovare, que tem como objetivo o reconhecimento e a disseminação de práticas inovadoras que se desenvolvem no interior do sistema de Justiça do Brasil. 
Nesse ano será realizado o VIII CineCreed, com previsão para o período de 02 a 04 de dezembro. A edição homenageará o documentarista Felipe Peres e as inscrições já podem ser realizadas através do site: www.precisope.com.br 
Secretaria de Defesa Social de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário