quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Crescer sem Medo pode ser votada no Congresso essa semana

A Câmara dos Deputados pode votar, nesta semana, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 25/2007 - Crescer sem Medo, que prevê, entre outras medidas, a ampliação do prazo de parcelamento de dívidas tributárias de micro e pequenas empresas de 60 para 120 meses. Caso seja aprovado ainda neste ano, as regras de parcelamento entram em vigor a partir do dia de publicação da lei. 
O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destaca que é importante que o projeto seja votado rapidamente para que as empresas de pequeno porte possam voltar a desempenhar o papel de propulsoras da economia. "A cada um minuto uma empresa fica inadimplente no Brasil. Precisamos permitir que os donos de pequenos negócios tenham um prazo maior para pagar seus débitos fiscais. Uma iniciativa dessas pode impedir a falência de uma empresa ou estimular novos investimentos", destacou o presidente do Sebrae. 
Além do aumento do prazo de parcelamento dos débitos tributários, o Crescer sem Medo eleva o teto anual de faturamento do Microempreendedor Individual (MEI) de R$ 60 mil para R$ 81 mil e cria uma faixa de transição de até R$ 4,8 milhões de faturamento anual para as empresas que ultrapassarem o teto de R$ 3,6 milhões. 
A faixa de transição irá funcionar como a progressão de alíquota já praticada no Imposto de Renda de Pessoa Física, ou seja, quando uma empresa exceder o limite de faturamento da sua faixa, a nova alíquota será aplicada somente no montante ultrapassado. Também consta no projeto a redução do número de tabelas, de seis para cinco, e de faixas, de 20 para seis. 
A proposta também regulamenta a figura dos investidores-anjo, aquelas pessoas que financiam com recursos próprios empreendimentos ainda em seu estágio inicial, e permite a criação da Empresa Simples de Crédito (ESC), que tem como objetivo criar empresas que possam oferecer empréstimos a negócios locais, ampliando as ofertas de crédito para os empreendimentos de micro e pequeno porte. 
Agência Sebrae de Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário