quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Prévia de carnaval d'As Levi@n@s


O Bloco Telúrico, Etílico, Cultural @s Levian@s é um Grupo sem fins lucrativos que agrega homens e mulheres, militantes e que brincantes e nasceu a partir da luta contra o machismo, a misoginia, a homofobia e o racismo. Através de referências às personagens símbolos da luta pelos direitos das mulheres, que atuam ou atuaram em espaços públicos ou não.

Em 2018 reafirmamos o combate à violência contra a mulher, alicerçada na cultura patriarcal, machista e racista, tendo como homenageada “VERA REGINA PAULA BARONI”, ícone inconteste das lutas em defesa dos Povos de Terreiro, da Rede de Mulheres Negras e de sua contribuição na área da Saúde Pública em defesa do SUS.

@s Levian@s realizará sua prévia no dia 03/02,(sábado), à Rua ARTHUR WANDERLEI, 313, BAR DO JORGE, A PARTIR das 11:00h. onde ocorrerá nosso encontro/ celebração.

Com informações da atriz e militante Telma Ratta

Diretores da Compesa recebem prefeitos de Jaboatão e Moreno para discutir retomada da obra da Barragem Engenho Pereira

Os diretores da Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa, Décio Padilha, de Gestão Corporativa e Simone Albuquerque, da Regional Metropolitana, receberam nesta tarde (17), os prefeitos de Moreno, Vavá Rufino e de Jaboatão dos Guararapes Anderson Ferreira, para discutir a retomada da obra da Barragem de Engenho Pereira, localizada no Rio Jaboatão, em Moreno. 
No encontro, realizado na sede da Compesa, no bairro de Santo Amaro, os dirigentes da companhia mostraram aos prefeitos que já foram investidos R$ 50 milhões na obra e na desapropriação da área da barragem, recursos bancados exclusivamente pelo Governo do Estado. Mostraram também que serão necessários ainda R$ 54 milhões para a finalização do empreendimento. 

Desse total, só existe disponível uma Emenda de Bancada no valor de R$ 6 milhões para a obra da barragem, inserida no orçamento da União do ano de 2018. Na ocasião, o diretor da Compesa, Décio Padilha, elogiou a preocupação dos dois prefeitos para se agregar ao esforço da companhia para viabilizar os recursos que não foram garantidos pelo Governo Federal. “A nossa expectativa é que o debate aponte um direcionamento a partir da união de forças e sugestões dos participantes para que seja encontrado um caminho que viabilize a retomada e conclusão da obra. Esse apoio será muito bem-vindo para a execução de uma obra tão aguardada pela população dos dois municípios, pois precisaremos do apoio da sociedade, prefeitos e da bancada de Pernambuco para conseguirmos os 50 % restantes dos recursos financeiros para terminar a obra”, afirmou. 

A Barragem do Engenho Pereira foi projetada para acumular 25 milhões de metros cúbicos de água e foi concebida para contenção de enchentes do Rio Jaboatão e também para solucionar o abastecimento de água da cidade de Moreno e de alguma localidades de Jaboatão dos Guararapes, sendo ainda um reforço complementar para a Região Metropolitana do Recife.

O prefeito de Moreno, Vavá Rufino, considerou a reunião com os dirigentes e técnicos da Compesa muito positiva e ressaltou que a obra é de extrema importância para os dois municípios;. “Pela dimensão do empreendimento e volume de recursos necessários para a sua conclusão, é preciso o envolvimento e ajuda de todos para que a obra seja concluída, já que tecnicamente e ambientalmente, a obra está em ordem”, argumentou Rufino. O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, também considerou a reunião importante e elogiou a Compesa pelos esclarecimentos técnicos e transparência nas informações. “A obra da Barragem Engenho Pereira é um projeto muito esperado pelos dois municípios e saio do encontro com a visão de que a direção da Compesa e seus técnicos estão empenhados em atender aos anseios da população, independente de questões partidárias”, complementou Ferreira.


Imprensa Compesa

Estradas rurais de Caruaru recebem melhorias

A Secretaria de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural de Caruaru retomou os trabalhos de recuperação das estradas rurais do município e vem realizando intervenções desde os primeiros dias de janeiro de 2018. A frota de máquinas passou por manutenção e já está em campo realizando os trabalhos de requalificação das vias para facilitar o fluxo de veículos e moradores. Três frentes de trabalho iniciaram a recuperação das estradas que compreendem o primeiro, segundo e terceiro distritos rurais.

Localidades como Veado Magro e Pau Santo, no Primeiro Distrito, já começaram a ser beneficiadas. A previsão é recuperar 6,5 km só nesse trecho. Outra frente de trabalho está no Segundo Distrito, passando pela Vila do Juá, em direção à Palmatória I e II, Gruta Funda, Baratinho, Entroncamento, até chegar à Vila de Patos. No Terceiro Distrito, os trabalhos começaram no Sítio Barbatão, ainda no dia três deste mês. Desde então, as máquinas estão seguindo um roteiro que vai passar por Serra Velha, Riacho do Veado, Pitombeiras, até chegar em Lagoa Salgada.

“Para atender todas as localidades, tivemos que estabelecer alguns critérios estratégicos e chegar aos locais da forma mais coerente. Nesse primeiro momento, estamos atuando nas estradas principais que têm escolas e postos de saúde. Após essa etapa, iremos fazer a rota da produção rural e a do escoamento de mercadoria, para depois seguir para a recuperação das estradas vicinais”, explicou o secretário José Carlos Menezes.

Imprensa Caruaru

Basta de violência!


A Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda promove neste sábado (20.01) uma mobilização intitulada “Caminhada do Basta, Olinda pelo fim da Violência contra a Mulher”. A programação será realizada na Avenida Ministro Marcos Freire (beira mar), em frente ao antigo Quartel da Polícia do Exército, em Bairro Novo. A concentração tem início às 7h. As pessoas podem denunciar os casos de violação de direito contra o público feminino pelos telefones 180 e 3429.2707.

Imprensa Olinda

Curso de introdução ao branding está com inscrições abertas

No mundo hiperconectado que temos hoje em dia, manter bons relacionamentos com atuais e potenciais consumidores ou clientes se torna uma tarefa cada vez mais desafiadora. É por conta dessa realidade que a questão do branding, ou gestão de marcas, é tão relevante atualmente.

A Consumix Branding, empresa que faz parte do Porto Digital, está com inscrições abertas para o Curso de Introdução ao Branding. As aulas têm como objetivo ensinar os fundamentos da gestão de marcas e mostrar como as transformações digitais mudaram as relações dos consumidores com as marcas. O curso é voltado para empreendedores, empresários e profissionais de comunicação em geral.

As aulas serão ministradas por Izabela Domingues, fundadora da Consumix e uma das maiores especialistas em branding do Nordeste. Além de professora e pesquisadora da UFPE, Izabela também é autora de livros como Publicidade de Controle (2016) e Terrorismo de Marca (2013), tendo inclusive criado estratégias e campanhas para marcas globais, nacionais e regionais.

Entre os assuntos abordados durante o curso, estão a identidade de marca, equivalência de marcas, marcas ativistas, posicionamento de marca, transformação de negócios, território de marca e condutores de tendências e consumo.

“O branding precisa estar relacionado ao DNA da marca, ao propósito da empresa, diz respeito à experiência completa que ela promete aos consumidores e deve buscar entregar em todos os seus pontos de contato com os consumidores”, explica Paula Dias, sócia-diretora da Consumix. “É um trabalho que envolve todos que se relacionam com a marca e deve considerar, especialmente, seus consumidores. Entender sobre gestão de marcas é potencializar negócios, considerando as forças da empresa, seu mercado e seus clientes.”

Serviço – Curso de Introdução ao Branding

Data: 29 e 31 de janeiro
Horário: 19h (dia 29) e 21h30 (dia 31)
Local: Rua do Apolo, nº 181, Recife Antigo
Inscrições: https://goo.gl/xxrcms

Cerveja Glacial é patrocinadora oficial dos principais clubes do Pará

Glacial, cerveja do portfólio da HEINEKEN Brasil, anuncia o patrocínio de dois importantes times de futebol do Pará; Paysandu (foto) e Remo. A parceria tem início já na rodada de estreia dos campeonatos regionais de 2018 e visa expandir a presença da marca no mercado local, acompanhando os consumidores em seus momentos de lazer. Sob o slogan ‘Se Tem Glacial, Tem Jogo’, a marca estará presente com exclusividade nos jogos que os clubes são mandantes. Glacial também será vista em placas de campo, backdrops na área de entrevistas, nos bares, camarotes e nos telões dos estádios. A marca também estampará a camiseta de treino de ambos os clubes. “A ocasião de consumo da cerveja tem grande sinergia com o universo do futebol e nada melhor do que uma marca com grande ligação com a região Norte e presente no dia a dia dos consumidores, como é Glacial, para acompanhar esses momentos”, destaca Bruno Piccirello, gerente de marketing de Glacial.

A parceria acontece no momento em que a comercialização de cerveja nos estádios de futebol voltou a ser permitida. Por conta disso, além de estar disponível em diversos pontos de vendas no entorno dos campos de jogo, a marca também poderá ser consumida durante as partidas. Ainda segundo o gerente, “além da visibilidade que dará para marca, a parceria é importante por gerar experimentação do produto em momentos de grande relevância para o público. Além de fortalecer a marca, esperamos que a parceria desenvolva ainda mais o futebol da região norte”. O patrocínio reforça a presença da marca na região, que já recebe o Glacial Fest, festival que reúne os principais nomes da música brasileira, há oito anos. Mais informações da marca estão disponíveis no site www.glacial.com.br.

Renata Rosa na Casa Astral

Dia 19 receberemos show da cantora e rabequeira Renata Rosa. Ela traz no repertório as influências no contexto poético musical da Zona da Mata Norte Pernambucana e do Baixo São Francisco Alagoano entre os sinuosos cantos caboclos do catolicismo popular, do samba de coco, dos rojões de roça, das polifonias vocais indígenas e das brincadeiras de maracatu-rural e do cavalo-marinho.A casa abre às 20h e o show começa às 21h.

Ingressos podem ser adquiridos aqui

Fulô de Mandacaru e outras atrações no Dia da Consciência Cristã

A praia de Tamandaré sedia, pela quinta vez, o Dia da Consciência Cristã. O evento, que acontece no dia 27 de janeiro, na Arena Tamandaré Fest, tem como atrações a cantora Elba Ramalho, a banda Fulô de Mandacaru, o Padre Antônio Maria e o cantor Almir Rouche. Além disso, as apresentações contarão com as participações de Dudu do Acordeon, Anna Alves, Viviane Arruda, Alejandro e da Banda de Música da Polícia Militar de Pernambuco. Os ingressos custam R$ 30,00 já estão a venda na sede da Paróquia de São Pedro, em Tamandaré; e na Banca Fernanda, na Avenida Guararapes, Centro do Recife.

O Dia da Consciência Cristã é realizado anualmente com o intuito de evangelizar e celebrar a vida, além de garantir a continuidade de dois projetos sociais no município de Tamandaré. O primeiro deles é a Associação Padre Arlindo atua diretamente na criação e desenvolvimento de projetos sociais, culturais e religiosos, sempre incentivando a cultura e educação, prestando apoio e orientação à comunidade carente de Tamandaré. 

Através dela, foi possível disponibilizar cerca de 3.000 atendimentos médicos, fisioterápicos, odontológicos e psicológicos, bem como a orientação jurídica e nutricional, através do trabalho voluntário de mais de 30 profissionais atuantes. O segundo trabalho é o Projeto Tamandaré, realizado na Associação Padre Enzo, que assiste aproximadamente 400 crianças, onde presta o serviço de Creche, trabalhando a Educação Infantil, com crianças de idade 02 a 06 anos e no sistema de contraturno; além disso, atende com jovens de 07 a 15 anos, onde são realizados cursos de empreendedorismo e horta, empreendedorismo e padaria, empreendedorismo e gastronomia e reforço escolar. 

Este ano, o Dia da Consciência Cristã entrou oficialmente para o calendário de eventos de Pernambuco. A Lei N° 16.295/2018 foi publicada no dia 9 de janeiro, no Diário Oficial do Estado. De acordo com o pároco da cidade e organizador da festa, a ideia é transformar o município em uma referência de turismo religioso em Pernambuco. "Costumo dizer que aqui em Tamandaré, só não reza quem não quer. Nós preparamos uma série de atividades ao longo de todo o mês para iincentivar a participação das pessoas de forma constante", explicou. Uma delas é a série de luaus que acontecem todas as sextas-feiras, às 19h30, em frente à Igreja de São Pedro. 


Serviço:

O que é: Dia da Consciência Cristã - Ano 5
Atrações: Elba Ramalho, Fulô de Mandacaru, Pe. Arlindo e Pe. Antônio Maria e Almir Rouche
Local: Arena Tamandaré Fest
Dia/Hora: 27 de janeiro de 2017, a partir das 14hs
Ingressos: R$ 30 à venda na sede da Paróquia de São Pedro (Avenida Jose Bezerra Sobrinho, 999, Tamandaré - PE) e na Banca Fernanda (Avenida Guararapes, Centro do Recife)
Informações: (81) 98808-2420 e (81) 8414-2138

É simples ser feliz

A rede Pão de Açúcar lança nova campanha intitulada “é simples ser feliz”. Utilizando o novo conceito da marca, o filme produzido pela BETC/Havas, está nos principais canais de TV a cabo, salas de cinema e também em uma versão para spots de rádios. Com isso, a marca visa fortalecer ainda mais o relacionamento com o cliente retratando momentos especiais do dia a dia que tornam a vida mais leve e feliz.

Exposição prolongada ao sol pode antecipar catarata

Na estação mais quente do ano, a exposição prolongada ao sol pode antecipar o surgimento de catarata, que normalmente ocorre com o envelhecimento. De acordo com os especialistas, no verão, as pessoas procuram se proteger dos raios solares, mas acabam esquecendo de cuidar dos olhos. Muitos estudos mostram que os raios Ultra Violetas (UV) podem aumentar o risco de catarata e de outras doenças oculares.

Para o oftalmologista do HVISÃO, membro da Associação Americana (ASCRS) e Europeia (ESCRS) de Catarata e Cirurgia Refrativa e da Sociedade Brasileira de Catarata e Refrativa (BRASCRS), Francisco Lobato, a catarata é a doença ocular que reduz a eficiência e transparência do cristalino. “Fica atrás da íris e da pupila, muda de forma, permitindo que as imagens recebidas se concentrem na retina, que fica na parede posterior do olho. Quando a catarata se forma, as imagens vão se tornando cada vez mais difíceis de serem distinguidas, o contraste e cores ficam comprometidos”, disse o especialista.

“A exposição prolongada ao sol favorece a precocidade do estresse oxidativo, reação química que pode ocorrer quando as células consomem oxigênio e outros nutrientes do organismo para produção de energia, sendo este, um dos principais contribuintes para o envelhecimento e para as doenças relacionadas à idade, incluindo a catarata”, explica Francisco Lobato.

Segundo o médico, as células do cristalino contêm água e proteínas e não possuem as organelas, tipicamente encontradas em outras células. “Quando a catarata se forma, as proteínas das células do cristalino mostram sinais de danos oxidativos. Elas espalham a luz, ao invés de transmiti-la. Assim, pode-se dizer que o estresse oxidativo é responsável por destruir as proteínas do cristalino, dando origem à catarata”, afirma o oftalmologista.

De acordo com o médico, o uso de óculos de qualidade, que de fato bloqueiem UVA e UVB (>98%) e chapéu são medidas preventivas importantes, nesta época do ano. Na alimentação, Lobato conta que consumir alimentos/suplementos ricos em antioxidantes (ômega-3, zeoxantina, transresveratrol, vitamina C e E, selênio, zinco, Carotenoides, cacau, açaí, etc), diminuem o estresse oxidativo.

O oftalmologista alerta que os cuidados com a visão não se restringem apenas à época do verão, principalmente para pessoas que moram em localidades onde a incidência de raios solares é presente quase o ano inteiro.

O tratamento de catarata é cirúrgico. Com 30 anos de experiência em cirurgias de catarata, Francisco Lobato conta que durante o procedimento, retira-se o cristalino e implanta-se uma lente intraocular (LIO) com grau especificamente calculado. Atualmente, existe um método mais moderno, no qual utiliza-se um aparelho de laser (FLACS = Femtosecond assisted cataract surgery) para a realização de algumas etapas da cirurgia, com o objetivo de dar mais precisão, previsibilidade e reprodutibilidade à cirurgia de catarata, finalizou Lobato.

#EuVouProAlterna


Nos dias 02 e 03 de fevereiro, a partir das 19h, expressões da música nacional irão aportar na Praça do Carmo, em Olinda. Com o tema "Por um mundo sem drogas" e uma programação voltada para o público gospel, o evento trará para a cidade grandes nomes. 

Sobe ao palco no primeiro dia Clóvis Pinho - vocalista do Preto no Branco e Banda Nova. O segundo dia de programação contará com Priscilla Alcântara (que por anos foi apresentadora infantil no SBT) e Karol Araújo & Celebrando a Verdade. Artistas locais também se apresentarão nas duas noites de celebração.

Imprensa Olinda

Dia Nacional de Enfrentamento à Intolerância Religiosa será lembrado em Caruaru


O dia Nacional de Enfrentamento à Intolerância Religiosa, celebrado no próximo domingo (21), será lembrado em Caruaru, nesta sexta-feira (19), com um encontro ecumênico ministrado por representantes de diversas religiões e especialistas no assunto. O ato irá acontecer no Ilê Axe "Ogun Onirê", a partir das 19h, com acesso gratuito do público. A Prefeitura de Caruaru está na realização do evento, por meio da Coordenadoria de Promoção de Igualdade Étnico-Racial, da Secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, junto com a Secretaria de Políticas para Mulheres.

O encontro contará com a presença da sociedade civil e representantes de grupos culturais que promovem a cultura artística voltada para a religiosidade de matriz africana, entre eles o Ilê Dandara, e membros de diversas religiões. Confirmaram presença como palestrantes, a professora ativista e Ekede Vera Regina Barone, o líder da Igreja Católica, Padre Everaldo Fernandes, e a representante do Ilê Dandara, Lucimary Passos. O Movimento Hare Krishna, de Serra dos Cavalos - Caruaru, também irá enviar representantes para contribuir com palestras no evento.

“Apoiar encontros como este, unindo diversos segmentos religiosos e seus representantes, sejam eles católicos, evangélicos, ou de matriz africana, é um ato importante para se promover o enfrentamento e combate à intolerância religiosa”, afirmou o coordenador de Promoção e Defesa de Igualdade Ético-Racial, Ivan Moreira.

Serviço:

Encontro ecumênico pelo dia Nacional de Enfrentamento à Intolerância Religiosa
Dia: 19.01.18
Hora: 19h
Local: Ilê Axe Ogun Onirê (Casa de Pai Gesus de Ogun)
Endereço: Rua Guilherme Fortunato de Brito, 70 - Jardim Panorama (antiga entrada das Cohab I e II)

Imprensa Caruaru

Governo do Estado e TJPE firmam parceria para a ressocialização através da laborterapia

Com o objetivo de fortalecer a política estadual de ressocialização, foi assinado, na manhã desta segunda-feira (15.01), um convênio entre o Governo do Estado e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que possibilitará a reintegração de reeducandos à comunidade através da prestação de serviço comunitário. O acordo permitirá, por meio do Programa de Execução da Pena de Prestação de Serviços à Comunidade, desenvolvido pela Vara de Execução de Penais Alternativas (Vepa), a ampliação da oferta da laborterapia, que propicia aos apenados o cumprimento de pena associado à realização de atividades profissionais específicas, seguindo as diretrizes da Lei de Execução Penal e do Pacto pela Vida. A parceria ampliará o acesso às instituições e aos órgãos da administração direta e indireta de Pernambuco para o encaminhamento de reeducandos à prestação de serviço comunitário.

O presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo, afirmou que a finalidade do convênio com o Governo do Estado é proporcionar uma maior dignidade para o apenado no cumprimento de sua pena fora do estabelecimento prisional. "Essa parceria é muito significativa por que irá viabilizar a ampliação do trabalho que vem sendo desenvolvido pela Vepa nas penas alternativas. A finalidade desse convênio com o Governo do Estado tem esse foco: ampliar e tornar mais profícuo esse serviço que permite que o apenado possa ser ressocializado e reeducado prestando serviço à comunidade", finalizou.

Atual coordenador do Saravida - organização da sociedade civil que apoia a reintegração de pessoas à sociedade - e o primeiro beneficiado da Vepa, Edson Barbosa pontuou a importância do programa em sua vida e para a recuperação de jovens envolvidos com o crime. "Essa experiência foi muito importante na minha vida. Através da Vepa, passei por um tratamento em uma Comunidade Terapêutica e lá pude me recuperar da criminalidade e do vício das drogas, no qual eu vivia. Isso é muito positivo para as pessoas que cometem esses delitos e vão para as penitenciárias. Com esse trabalho, elas podem ter mais dignidade para cumprir a pena e até sair mais rápido. A Vepa tem sido fundamental na vida desses jovens que tem envolvimento com o crime", concluiu.

A laborterapia desenvolvida pelos reeducandos é uma terapia ocupacional que promove a reeducação de valores, elevando a autoestima, desenvolvendo novas habilidades, disciplina, limites e regras. Além de aprimorar a conduta, caráter e organização, ajuda a desenvolver a percepção, a concentração e a reabilitação física. Com esta essência, foi criada, pela Lei Complementar Estadual nº 31, de 2 de janeiro de 2001, a Vepa. A Vara tem como principais objetivos aplicar, acompanhar e monitorar as penas alternativas, resgatando a cidadania de seus beneficiários através de seu trabalho e de suas habilidades. Nesse processo, procura-se integrar Justiça, beneficiário, família e sociedade. O resultado é o baixo índice de reincidência. 

As penas alternativas - em sua maioria, prestação de trabalhos voluntários em entidades vinculadas e órgãos públicos diversos - são aplicadas a pessoas que cometeram crimes de menor poder ofensivo. Atualmente, o acervo da Vepa possui 7 mil processos em tramitação. Por mês, cerca de 200 novos processos são recebidos.

PARCERIAS - Atualmente, quase mil instituições são conveniadas aos projetos desenvolvidos pela Vepa na Região Metropolitana do Recife. Os beneficiários prestam serviços gratuitos em escolas, hospitais e mercados públicos; associações de moradores; Secretarias Estaduais; Corpo de Bombeiros Militar; e outros órgãos públicos. Após o cumprimento da pena e pelo trabalho diversificado executado, por muitas vezes os beneficiários conseguem emprego nos locais onde cumpriram a pena.

Secretaria de Imprensa de Pernambuco

Mostra Canavial de Cinema - MCC

A 7ª Mostra Canavial de Cinema - MCC está em sua segunda semana de programação. Até 28 de janeiro as cidades de Glória do Goitá, Vicência, São Vicente Ferrer, Tracunhaém, Lagoa do Carro e Nazaré da Mata, todas da Zona da Mata Norte do Estado, vão receber a mostra, que tem o objetivo de levar cinema a lugares onde o acesso é limitado e pretende fomentar a discussão sobre a produção audiovisual dentro e fora de Pernambuco. Nesta terça (16) e quarta (17) a 7ª MCC chega à cidade de Glória do Goitá.

Com o tema Saberes Ancestrais, a curadoria desta edição dialoga com a chama das memórias e a conexão com as raízes do passado: aquelas que sustentam o presente e aponta em direção ao futuro. Com uma programação composta por 10 filmes nos programas Do Canavial Para o Mundo e Do Mundo para o Canavial, a 7ª MCC permite um passeio por diferentes saberes tradicionais guardados e transmitidos por mestras e mestres: dos saberes curandeiros da terra as manifestações populares, do ofício hereditário as lembranças ancestrais. A curadoria da 7ª Mostra Canavial de Cinema é da produtora e programadora de cinema Thay Limeira.

Histórico - Desde sua primeira edição, em 2011, a Mostra Canavial de Cinema vem provocando reflexões acerca da realidade da Zona da Mata Norte e se coloca a favor do empoderamento das populações locais dos signos de sua cultura, história e atualidade, através de exibições públicas gratuitas, debates e celebrações. Em 2012 lançou o Núcleo de Produção Engenho Digital – NPED que tem como proposta consolidar o arranjo produtivo local e fomentar o desenvolvimento de projetos em audiovisual na Mata Norte (cineclubes, mostras, seminários, projetos de formação e de conteúdo).

A 7ª edição da Mostra Canavial de Cinema é idealizada e coordenada pelo produtor e diretor de cinema Caio Dornelas, com incentivo do Funcultura / Fundarpe, Secretaria de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco e conta com apoio dos municípios que recebem a mostra.



MOSTRA OFICIAL

Programa 1 - DO CANAVIAL PARA O MUNDO

Iluminadas, de Gabi Saegesser, 14′

Ervas que curam (foto), de André de Oliveira, 7'

Suassuna, a peleja do sonho com a injustiça, de Filipe Gontijo, 8'

Maracatu, Maracatus, de Marcelo Gomes, 14'

As Sandálias de Lampião, de Adriana Yañez, 28'



Programa 2 – DO MUNDO PARA O CANAVIAL

Do Corpo da Terra, de Julia Mariano, 24′ 

Casca de Baobá, de Mariana Luiza, 11'

Égun, de Adams Carvalho, 12'

Kaosnavial, de Marcelo Pedroso e Afonso Oliveira, 25'

Meninos e Reis, de Gabriela Romeu, 16' (SP) 



SERVIÇO:

7ª Mostra Canavial de Cinema

Quando: Até 28 de janeiro de 2018

Onde: Glória do Goitá, Vicência, São Vicente Ferrer, Tracunhaém, Lagoa do Carro e Nazaré da Mata

Gratuito

Informações gerais: mostracanavial.com.br

Informações para a imprensa:

Priscila Urpia

(81) 98840 9930 / (81) 99617 6008



Programação 7ª Mostra Canavial de Cinema 



Glória do Goitá

16 JANEIRO | Programa 1 | 19h

17 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Sítio Malícia – em frente ao Museu do Cavalo Marinho do Mestre Zé de Bibi



Vicência

18 JANEIRO | Programa 1 | 19h

19 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Praça de Trigueiros



São Vicente Ferrer

20 JANEIRO | Programa 1 | 19h

21 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Praça Pedro Pereira Guedes



Tracunhaém

23 JANEIRO | Programa 1 | 19h

24 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Praça Costa Azevedo



Lagoa do Carro

25 JANEIRO | Programa 1 | 19h

26 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Praça Manoel Barbosa – Centro



Nazaré da Mata

11 e 12 JANEIRO |Oficina Rápida de Cinema Ligeiro | 9h às 17h (Atividade ao ar livre nas terras do Assentamento Camarazal)

27 JANEIRO| Programa 1 | 19h

28 JANEIRO | Programa 2 | 19h

Local: Em frente à igreja do Assentamento



Sinopses filmes

Programa 1 - DO CANAVIAL PARA O MUNDO

ILUMINADAS | PE | 2016 | Documentário

Luz, sombra, mistério.

ERVAS QUE CURAM | BA | 2017 | Documentário

Val, Miúda e Isabel são três cuidadoras, amantes das plantas medicinais, que nutrem um respeito profundo pelos mistérios da Natureza Aprenderam com suas mães e avós a curarem pelo poder das ervas. Elas até hoje mantêm viva essa tradição, enraizando-a na terra, cultuando-a em lindos canteiros e viveiros nos quintais de suas casas. Todas as três inspiram e expiram a força feminina que só quem mergulha profundamente nesses mistérios tem como deles emergir com esses dons.

SUASSUNA, A PELEJA DO SONHO COM A INJUSTIÇA | DF | 2013 | Animação

Esse cordel traz um momento crucial da vida do escritor Ariano Suassuna: a transformação da amargura pelo assassinato do pai, João Suassuna, em força para seguir o exemplo paterno e se tornar um defensor do povo nordestino e de seus direitos. O roteiro da animação foi escrito em versos e a arte é inspirada nas xilogravuras do movimento armorial, vertente artística idealizada por Ariano.

MARACATU, MARACATUS | PE | 1995 | Documentário/Ficção

As diferenças culturais entre as várias gerações de integrantes do maracatu rural, ritual afro-indígena que tem suas origens nos engenhos de açúcar de Pernambuco.

AS SANDÁLIAS DE LAMPIÃO | CE | 2013 | Documentário

Dentro da caixa de ferramentas do seu falecido pai, o Mestre Espedito Seleiro encontrou o molde de uma sandália com sola retangular, usada por Lampião para deixar pegadas que confundiam a polícia. O episódio marcou a trajetória do artesão cearense, que inventou um novo estilo ao reunir de modo original o universo dos vaqueiros e a estética do cangaço.



Programa 2 – DO MUNDO PARA O CANAVIAL

DO CORPO DA TERRA | RJ/MST | 2016 | Documentário

“Do corpo da terra” retrata como quatro mulheres do coletivo de saúde do MST mudaram suas vidas na relação com a terra e com seus corpos.

CASCA DE BAOBÁ | RJ | 2017| Ficção

Maria, uma jovem negra nascida em um quilombo no interior do estado, é cotista na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sua mãe, Francisca, leva a vida cortando cana nas proximidades do quilombo. As duas trocam mensagens para matar a saudade e refletir sobre o fim de uma era econômica-social.

ÉGUN | MG | 2015 | Animação

Égun é um filme de curta metragem de animação que busca estabelecer um diálogo entre a linguagem poética e o cinema. O filme conta a história de um pescador na busca por compreender os fatos que levaram a morte de seu pai abordando a relação entre a condição sociocultural de moradores de uma comunidade litorânea e a tradição espiritual afro-brasileira do Candomblé.

KAOSNAVIAL | PE | 2012 | Documentário

Autor da antológica Maracatu Atômico, Jorge Mautner encontra o Mestre Zé Duda para uma residência artística imersiva que resulta num disco composto e gravado pelos dois. O filme é o registro deste encontro singular e das descobertas feitas pelos dois artistas.

MENINOS E REIS | SP | Documentário

Num dos folguedos mais populares do Cariri cearense, o palhaço pinta a cara de preto, crianças aprendem a jogar espada com destreza e meninas crescem como rainhas. Mas Maria, a rainha de um dos reinados mais tradicionais da região, está no último ano de reinado e encara o drama de passar a coroa para a irmã mais nova, vivendo um verdadeiro rito de passagem





MOSTRA CANAVIAL DE CINEMA 2018 - EQUIPE



Coordenação: Caio Dornelas

Coordenação de Produção: Mery Lemos

Produção Local: Edresson Ribeiro, Edriane Cruz, Marta Mel, Kléber Henrique, 

Edresson Ribeiro Lima, Mário José, Noelly Silveira e Philippe Wollney

Curadoria: Thay Limeira

Designer: Matheus Ferreira

Ilustração: Geisiara Lima

Assessoria de Imprensa: Priscila Urpia e Noelly Silveira

Redes Sociais: Enock Carvalho

Website: Saulo Ferreira

Fotógrafo: Ernesto Rodrigues

Formação: Eva Jofilsan

Coordenação Técnica: 9 Oitavos

Técnico de Projeção: Ilton Ferreira

Motorista: José Manoel

Eletricista: Anderson Roberto

MEC autoriza uso de nome social na educação básica para travestis e transexuais

Resolução do Ministério da Educação (MEC) homologada hoje (17) autoriza o uso do nome social de travestis e transexuais nos registros escolares da educação básica. A norma busca propagar o respeito e minimizar estatísticas de violência e abandono da escola em função de bullying, assédio, constrangimento e preconceitos. O nome social é aquele pelo qual as travestis, mulheres trans ou homens trans optam por ser chamados, de acordo com sua identidade de gênero.

“Essa era uma antiga reivindicação do movimento LGBTI [lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais] que, na verdade, representa um princípio elementar do respeito as diferenças, do respeito à pessoa e ao mesmo tempo de um combate permanente do Ministério da Educação contra o preconceito, o bullying, que muitas vezes ocorre nas escolas de todo o país. É um passo relevante para o princípio do respeito às diferenças e o combate aos preconceitos”, enfatizou o ministro Mendonça Filho ao homologar o texto, que foi aprovado pelo Conselho Nacional de Educação em setembro do ano passado.

A resolução ainda será publicada no Diário Oficial da União. Com a edição da medida, o ministério atende à demanda de pessoas trans que querem ter sua identidade de gênero reconhecida. Em 2015, uma resolução do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoções dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNDC/LGBT) definiu parâmetros para acesso e permanência de pessoas trans em diferentes espaços sociais, entre eles o direito ao uso do nome social nas redes de ensino.

A realidade, no entanto, não está de acordo com essa recomendação do conselho, que não tem força de lei. Presidenta da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), Keila Simpson afirma que a exclusão sofrida pelas pessoas trans no Brasil também é visível no ambiente escolar. “Quem mais está fora desse espaço da escola é a população trans, porque a escola não se preparou para nos receber”, critica.

No Ceará, essa situação foi vivenciada pela estudante Lara, de 13 anos. No ano passado, ela passou a se reconhecer como mulher e, por causa disso, a sofrer preconceitos no ambiente escolar, chegando a ser “convidada” a sair da Escola Educar Sesc. A mãe, Mara Beatriz, conta que a adolescente foi vítima de uma série de violências por causa de sua identidade de gênero. O nome civil dela, masculino, era utilizado em todos os registros escolares escritos, como em provas e boletins. A estudante não tinha acesso ao banheiro feminino e, para não usar o masculino, teve que se limitar a ir apenas ao banheiro da coordenação. Até o direito de ter o nome social garantido na carteirinha de estudante, que era assegurado pelo órgão emissor do documento, foi inviabilizado pela escola, que não confirmou a matrícula da estudante ao órgão.

“Era algo que causava muito sofrimento, porque antes aquele era um ambiente em que ela se sentia muito bem na escola, onde estudava desde os 2 anos de idade”, lembra a mãe, que decidiu usar as redes sociais para denunciar o preconceito contra a filha. Sete dias depois das denúncias e de o caso ter ganhado repercussão na mídia, o Sistema Fecomércio, que controla a escola, informou que havia ocorrido “uma falha pontual interna” e que o nome social da estudante havia sido regularizado em todos os documentos.

Além disso, a instituição se comprometeu a estimular o debate sobre questões de gênero com toda a comunidade escolar e a adotar ações permanentes de combate ao preconceito.

Para evitar que esse tipo de situação se repita, a nova resolução do MEC estimula que as escolas de educação básica estabeleçam diretrizes e práticas para o combate a quaisquer formas de discriminação em função de orientação sexual e identidade de gênero de estudantes, professores, gestores, funcionários e respectivos familiares na elaboração e implementação de suas propostas curriculares e projetos pedagógicos, além de estimular e respaldar quem já utiliza o nome social. A educação básica inclui a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio.

A falta de reconhecimento leva à ausência de dados sobre a situação. Não há estudos específicos ou informações oficiais sobre o número de pessoas trans nas escolas, algo que poderá a ser mensurado a partir da adoção da resolução do MEC. “A partir disso, a gente espera ter uma dimensão de quem são as pessoas trans que estão nas escolas”, disse Keila, da Associação Nacional de Travestis e Transexuais. Ela destaca que o acompanhamento das pessoas trans que fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) só se tornou possível em 2014, quando os candidatos passaram a poder usar o nome social. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apenas 303 pessoas optaram por usar nome social no Enem do ano passado.

Mais direitos

A luta pela garantia dos direitos da população trans tem provocado mudanças em outras áreas. Desde 2013, o Ministério da Saúde possibilitou que travestis e transexuais passassem a usar o nome social no Cartão SUS. “Não é uma tarefa simples, a gente trabalha todo dia para que os espaços adotem iniciativas como essa e respeitem o que está posto”, afirma Keila. Em 2017, a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que transexuais têm direito à alteração do gênero no registro civil, mesmo sem realização de cirurgia de mudança de sexo. 

No Supremo Tribunal Federal (STF), estão em debate o direito dessas pessoas usarem o banheiro condizente com a identidade de gênero que elas reivindicam, bem como a possibilidade de transexuais alterarem o nome no registro civil sem a realização de cirurgia de mudança de sexo.


Agência Brasil

Jovem palestina continuará presa até julgamento em Israel

Um tribunal militar de Israel estendeu nesta quarta-feira (17/01) a prisão preventiva da adolescente palestina Ahed Tamimi (a moça loira da foto), de 16 anos, que é acusada de 12 crimes, entre eles agressão grave, dificultar o cumprimento dos deveres militares, incitação à violência e lançamento de pedras. A jovem permanecerá detida até o julgamento, marcado para 31 de janeiro.

"As provas contra ela são sólidas", disse o juiz, que considera a menor de 16 anos perigosa e autora de um delito ideológico, ao justificar a manutenção da detenção. A mãe da adolescente, Nariman, também permanecerá na prisão. Ela é acusada de envolvimento nos atos da filha, além de incitação por ter divulgado ao vivo pelo Facebook as imagens da provocação contra os dois soldados que estavam em frente à casa da família. 

Tamimi ficou conhecida após um vídeo, no qual ela aparece agredindo soldados israelenses, viralizar nas redes sociais. Nas imagens, ela aparece ao lado da mãe e de uma prima dando tapas em soldados israelenses na região de Nabi Saleh, na Cisjordânia.

Com um histórico de várias agressões contra militares israelenses, a jovem é vista na região como ícone da resistência à ocupação israelense. Em Israel, ela é vista como uma jovem ingênua que é manipulada pelos pais.

Tamimi foi detida numa operação policial noturna em sua casa em Nabi Saleh, no território ocupado da Cisjordânia, quatro dias depois da divulgação do vídeo, em meados de dezembro. No dia seguinte foi a vez de sua mãe ser detida, cujo julgamento será em 6 de fevereiro, e também sua prima Nour, mas esta foi liberada após pagamento de fiança.

Visivelmente preocupada, Tamimi chegou com pés e mãos algemados ao tribunal militar israelense de Ofer, na Cisjordânia, onde ouviu as respostas do juiz, que na segunda-feira solicitara 48 horas para decidir sobre a libertação ou não da menor de idade. Sua mãe também se dirigiu à sala do tribunal, onde havia delegações diplomáticas e veículos de imprensa internacional. 

A advogada de defesa, Gaby Lasky, considera que Israel está utilizando o caso para "dissuadir a resistência à ocupação", já que os Tamimi são uma família conhecida de ativistas, e manifestou seu desacordo com as 12 acusações contra a sua cliente, que incluem fatos anteriores à prisão.

O Exército confirmou que a adolescente é acusada de atacar as forças de segurança em cinco ocasiões, atirar pedras, participar de manifestações violentas, de ameaças e incitação.

Na segunda-feira, a Anistia Internacional pediu a libertação da jovem e afirmou que nada do que ela fez contra soldados que usavam equipamentos de proteção pode justificar a detenção de uma adolescente de 16 anos.

Deustche Welle

Votação da Previdência em fevereiro é muito difícil, afirma presidente da Câmara em exercício

Presidente da Câmara em exercício, o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) disse nesta quarta-feira que o governo não tem os votos para aprovar a reforma da Previdência e que será muito difícil votar a proposta até fevereiro deste ano.

Em uma entrevista depois de cerimônia no Palácio do Planalto, Ramalho, que é emedebista mas tem um histórico de atritos com o Planalto, disse que o governo está fazendo suas avaliações, mas acredita que o Planalto chegará à mesma conclusão, de que não há votos suficientes.

“Fevereiro não é a última chance de votar (a Previdência), mas vejo muita dificuldade”, disse. “Eu penso que o governo não vai conseguir os votos. O governo está fazendo suas avaliações, mas creio que deve chegar no que pensamos.”

“Pelas conversas que estou tendo acho muito difícil. Avançou muito pouco até agora”, disse Ramalho, que defende ainda uma discussão da Previdência durante todo este ano para ser votada em 2019. “A discussão não está madura. É uma discussão para todos os candidatos (a presidente)”, afirmou.

Na terça-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, em Nova York, também não ver com otimismo a possibilidade da Previdência ser votada em fevereiro. 

Agência Reuters

Maltratadas e esterilizadas por ficarem menstruadas

A sala de aula de uma escola nos arredores de Mumbai (ou Bombaim), na Índia, se torna silenciosa, e as alunas, todas afetadas por alguma deficiência, levantam os olhos para as mães em busca de ajuda. Ouviram uma pergunta difícil: "O que é a menstruação?". Metade das meninas desse grupo, entre 8 e 16 anos, já começou a menstruar, mas não sabe a resposta.


Depois de alguns segundos, uma aluna, de 13 anos, levanta a mão. "As regras", responde. No entanto, quando os ativistas que dão a aula lhe perguntam o que é a menstruação, ela permanece calada e olha fixamente para o chão. Então, os coordenadores do workshop fazem uma pergunta mais fácil: "Os meninos também menstruam?". Apesar de tudo, o silêncio confuso persiste.

Vinay Kumar, o ativista de 23 anos que organizou a sessão de conscientização na Escola Especial Jidd, afirma que a reação das meninas é normal. Muitos delas estão aprendendo, pela primeira vez, o que realmente é a menstruação.

Quando os pais querem esterilizar as filhas

Em 2106, Kumar começou a organizar sessões para explicar o que é a menstruação para meninas com deficiência física. Ele teve a ideia de iniciar o programa quando foi enviado a uma escola para crianças com necessidades especiais, como parte de uma bolsa de estudos Gandhi. No centro, teve um encontro que mudaria sua vida.

Ouviu uma mãe conversar com a diretora e pedir a ela que recomendasse um médico que pudesse retirar, clandestinamente, o útero da filha de maneira segura. "Começou a menstruar e é cada vez mais difícil cuidar de sua higiene", dizia.

A diretora conseguiu dissuadir a mãe da ideia de histerectomia sem o consentimento da menina, mas a conversa deixou Kumar perturbado. Quando foi falar com a diretora, ela respondeu que esse tipo de consulta era frequente.

Kumar queria descobrir com que frequência as menores de idade com deficiência eram esterilizadas à força. "Conversei com assistentes sociais e com diretores de outras escolas, entrevistei os pais e recuperei notícias importantes sobre o assunto", conta.

"Minha pesquisa sobre os antecedentes me mostrou que se tratava de uma prática comum e que os pais optam por ela principalmente por dois motivos: as dificuldades para cuidar da higiene dessas meninas durante a menstruação e o medo de uma gravidez como resultado de um estupro."

As histerectomias forçadas na Índia

Na Índia, 26,8 milhões de pessoas possuem algum tipo de deficiência, segundo o recenseamento de 2011. Desse total, 11,8 milhões são mulheres e meninas.

Um relatório apresentado em 2013 pela Disabled Peoples’ International ao Comitê das Nações Unidas para a Eliminação da Discriminação contra a Mulher afirma que quase 80% das mulheres com deficiência na Índia são vítimas de violência, e com uma probabilidade quatro vezes maior de sofrer agressões sexuais. Além disso, o relatório aponta que é comum histerectomias serem realizadas a pedido dos pais ou responsáveis.

"Qualquer intervenção médica, incluindo a esterilização, sem consentimento individual livre e informado é uma violação de sua integridade e pode constituir tortura e maus-tratos", afirmam os autores do relatório.

Na Índia, a prática de histerectomias forçadas contra mulheres e meninas com deficiência se tornou pública pela primeira vez em 1994, depois que vários relatórios revelaram que 11 mulheres adultas com deficiência intelectual haviam sido submetidas à operação. Elas moravam em uma residência pública em Pune, no Estado de Maharashtra, no leste da Índia, e tinham entre 18 e 40 anos. Os relatórios revelaram que a decisão de praticar essa intervenção irreversível havia sido tomada pelo Governo do Estado, com o consentimento dos responsáveis por sua custódia.

Apesar da enérgica condenação da prática por vários ativistas e grupos de mulheres, a administração do Estado afirmou que as operações eram "uma prática médica comum" no caso de "mulheres com atraso severo". Shirish Sheth, o médico que realizou as histerectomias, disse à imprensa: "Nunca pensei que fosse causar tanta polêmica. A histerectomia é uma forma de tratamento aceita nesses casos".

Um estudo realizado pela Fundação Oxfam em 12 distritos do Estado indiano de Odisha, no leste do país, para o qual foram entrevistadas 729 mulheres e meninas com deficiência e seus familiares, revelou que 6% das que possuíam deficiências físicas e 8% das entrevistadas com deficiências intelectuais haviam sido submetidas à esterilização forçada.

Educar meninas para que se protejam contra abusos

"A histerectomia não é a solução para todas as meninas com deficiência", declarou Rishma Pai, presidente da Federação das Sociedades Obstétricas e Ginecológicas da Índia, em entrevista ao portal News Deeply. "No caso dessas intervenções, que frequentemente causam muitas complicações, as decisões devem ser tomadas de acordo com as circunstâncias de cada caso. Elas só devem ser autorizadas em situações em que a jovem seja totalmente incapaz de lidar com a menstruação e corra risco de ser explorada sexualmente."

Na prática, as coisas são muito diferentes. Archane Shete, diretora da Escola Especial de Jidd, afirma que o procedimento é generalizado e que os pais costumam submeter as filhas à esterilização forçada em casos onde não é necessário ou aconselhável do ponto de vista médico.

"Sei que meninas com deficiência capazes de cuidar de sua higiene íntima podem facilmente aprender a lidar com a menstruação de maneira autônoma. Apenas precisam de orientação e que sejam preparadas adequadamente."

“A razão pela qual não sabem como lidar com a menstruação é que ninguém lhes ensinou o que é isso. Não têm consciência de que estão menstruando nem mesmo durante o período. [As pessoas] tratam-na como mais um transtorno relacionado à deficiência”, diz Shete.

Mesmo quando os pais não optam pela esterilização, as garotas ainda correm o risco de sofrer maus-tratos físicos e verbais.

Shobha Vishwakarma, 45 anos, tem uma filha de 16 com uma deficiência intelectual. “Nunca tinha falado a ela sobre menstruação antes da primeira vez”, conta, “e quando o fiz, provavelmente já era tarde demais. Ela se recusava a colocar absorventes e manchava a roupa a cada vez que menstruava. Era constrangedor. Tem homens em casa e meninos na escola”.

A mãe reconhece que tratou sua filha com violência quando começou a menstruar. “Doía-me na alma, mas não podia evitar gritar e bater nela. Não sabia fazer de outro jeito. No entanto, depois da terceira menstruação, ela passou a usar os absorventes sem reclamar muito”. Atualmente, Vishwakarma faz parte de um dos grupos de educação menstrual de Kumar.

O Projeto Samarth foi criado para garantir que as meninas não precisem sofrer maus-tratos para aprender o que é a menstruação pelo mero fato de ter uma deficiência. A equipe do programa pede às mães que falem sobre ela a suas filhas desde a infância, preferivelmente aos oito ou nove anos. Encorajam-nas a mostrar a elas na prática, pelo menos uma vez por mês, como se usam os absorventes, para que as meninas, em particular as portadoras de deficiência intelectual, se lembrem de como fazê-lo.

O projeto põe mães e filhas em contato com ginecologistas que explicam como funciona a menstruação, que durante os primeiros dois anos ela é irregular, e que precisam procurar a um médico se se prolongar por mais de uma semana. Os especialistas foram incluídos no programa depois de Kumar perceber que as mães raramente consultavam um médico, nem mesmo quando suas filhas tinham problemas graves relacionados à menstruação, como uma dor anormal nas pernas ou regras de mais de 15 dias de duração.

No primeiro ano do projeto Samarth, Kumar iniciou 60 garotas com deficiência no processo da menstruação. Para que as sessões sejam mais acessíveis, utiliza histórias em quadrinhos, ilustrações, vídeos, braile e linguagem de sinais. Conta que o termo “menstruação” não existia na linguagem de sinais indo-paquistanesa.

“Estou tentando inventar um gesto que represente a palavra menstruação”, diz. “O fato de não existir demonstra que ninguém falou dela às garotas”.

“Não” à histerectomía

Meenakshi Sharma, de 40 anos, não tinha preparado a sua filha de 10, afetada por uma deficiência intelectual. No entanto, afirma que não teve chance, já que Kashish começou a menstruar aos oito anos.

“No início pensei que tinha a ver com sua deficiência, mas, quando começou a sangrar todo mês, percebi que estava menstruando. Tentei ensinar a ela como utilizar um pedaço de tecido como absorvente, mas ela ficava muito irritada”.

“Apesar de lhe explicar, ela o tirava e jogava em qualquer lugar, até na mesa enquanto estávamos comendo. Sentia-me impotente; não sabia como ajudar minha filha. Até hoje lavo sua roupa íntima cada vez que menstrua”, conta.

Acrescenta que depois que sua filha começou a menstruar estremecia a cada vez que ouvia falar de casos de agressões sexuais a meninas deficientes. Não queria que Kashish ficasse grávida em consequência de um abuso.

Apesar de tudo, Sharma, que passou pelo programa Samarth, diz que a histerectomia não é a solução para sua filha. “Pensei sobre as diferentes opções”, afirma, “e não tenho mais medo. Vou cuidar dela”.

O procedimento é comum e há duas razões principais pelas quais os pais o escolhem: a dificuldade do manejo da higiene menstrual para essas garotas e o temor de uma gravidez resultante de um abuso.

Qualquer intervenção médica que inclua a esterilização sem o consentimento livre e esclarecido da pessoa é uma violação de sua integridade e pode configurar tortura e maus-tratos.

El País

Decisão do CNJ viabiliza a entrega de 19,4 mil livros a 40 presídios

Até o dia 2 de fevereiro, 19,4 mil livros serão doados pelo Ministério da Educação (MEC) a um grupo de 40 unidades prisionais brasileiras. A medida se dá em cumprimento ao acordo assinado em 2017 pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, e pelo ministro da Educação, Mendonça Filho. 

Unidades prisionais do Distrito Federal e do Piauí já foram contemplados com as obras de conteúdo didático, pedagógico ou literário. Na próxima sexta-feira (19/1), mais 25 unidades prisionais receberão os livros. O cronograma de entrega obedece à lógica de atendimento das penitenciárias que têm maior necessidade de bibliotecas.



Embora o fomento à educação esteja previsto na Lei de Execução Penal (LEP), atualmente poucos presos têm acesso a bibliotecas nas casas prisionais onde cumprem pena. Apenas 13% da população carcerária brasileira estuda ou realiza algum tipo de atividade educacional sob custódia, de acordo com dados do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (InfoPen), do Ministério da Justiça.

Os custos de envio dos livros às penitenciárias serão cobertos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), responsável pela compra anual de cerca de 140 milhões de livros para abastecer as escolas públicas brasileiras. 

Veja aqui quais presídios receberão os livros.


Remição pela leitura

A Recomendação CNJ n. 44 estimula a remição pela leitura especialmente para aqueles presos que não têm acesso a oportunidades de trabalho, educação e qualificação profissional, e já é realidade em diversos estados. A adoção da recomendação foi solicitada ao CNJ pelos ministérios da Justiça e da Educação pois, como a Lei de Execução Penal (LEP) – a Lei 7.210/84 –não detalhou quais seriam as atividades complementares que possibilitariam a remição, havia entendimentos distintos na esfera judicial.

Agência CNJ de Notícias.

Caruaru: cai teto de gesso de sala cirúrgica

As informações são da Secretaria de Saúde de Caruaru:

A Secretaria de Saúde de Caruaru informa que, nesta quarta-feira (17), houve um problema na coberta que atingiu o teto de gesso do bloco cirúrgico do Hospital Municipal Casa de Saúde Bom Jesus. Um engenheiro fez uma vistoria no local e o bloco foi interditado para manutenção.

Os atendimentos as grávidas do município continuam na Casa de Saúde e os partos normais também. As mulheres que necessitarem de partos obstétricos serão encaminhadas, após avaliação do obstetra de plantão, para a Maternidade Jesus Nazareno.


Imprensa Caruaru

Projeto de pesquisa recruta voluntários com lesão medular


Pessoas que sofreram lesão medular podem participar de um projeto de pesquisa com tratamento inovador, que propõe estimulação cerebral não invasiva e reabilitação da marcha com suporte de peso corporal. A iniciativa faz parte de pesquisa desenvolvida pela mestranda em Fisioterapia pela UFPE Fernanda Nogueira, sob a orientação da professora Kátia Karina do Monte Silva. O recrutamento de voluntários vai até o final deste ano.

Os pré-requisitos para participação na pesquisa são: homens e mulheres, de 18 a 55 anos, lesão incompleta e lesão com mais de oito meses. Os interessados devem contatar o Laboratório de Neurociência Aplicada (Lana), que fica no Departamento de Fisioterapia da UFPE, Campus Recife, para marcar a triagem. A marcação pode ser feita pelo e-mail lana.ufpe@gmail.com ou pelo telefone (81) 2126.7579 – atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h (falar com Fernanda Nogueira ou Hamably Lima).

Mais informações
Laboratório de Neurociência Aplicada (Lana)
(81) 2126.7579
lana.ufpe@gmail.com


Imprensa UFPE

Antigo aterro de Aguazinha vai abrigar sementeira municipal de Olinda

Olinda passa a contar, ainda este mês, com um novo berçário de cultivo e preservação ambiental. Uma área do antigo Aterro Sanitário de Aguazinha, localizado na Segunda Perimetral Norte, está sendo transformada em uma sementeira municipal. O espaço, com cerca de 500 metros quadrados, vai abrigar mudas de plantas de diversas espécies, incluindo também árvores e flores, todas oriundas de exemplares nativos da região. O material cultivado será direcionado para a arborização da cidade, incluindo ruas, praças e órgãos. A ideia é de contribuir para uma Olinda mais verde, sustentável e ainda melhor para se viver.

Entre os exemplos já estão mudas de algodão da praia, flamboyant, ipês e acácias. Esses dois últimos, trazem destaque em suas folhagens coloridas, quando atingem a fase adulta. As pigmentações versam em amarelo, branco e rosa, chamando a atenção nas vias públicas. A Sementeira de Olinda também deve receber um acervo variado, como felícios, palmeiras, cajueiros, mangueiras, entre outras. Para o município, o novo equipamento representará mais agilidade na concepção de projetos paisagísticos, assim como a reposição de áreas que sofreram devastação ou supressão irregular. 

De acordo com o técnico ambiental responsável, Carlos Soares, o trabalho ambiental também pode contar com a ajuda da população. “Qualquer cidadão que disponha de plantas ou mudas e queira realizar a doação, pode nos acionar que faremos a coleta sem custos no próprio endereço. Quem tiver disponibilidade, também pode levar até o local, aproveitando para conhecer o espaço mais de perto”, explicou. As equipes podem ser acionadas por meio dos telefones: 3355.1063 / 1064 / 1065, no atendimento da Secretaria de Serviços Públicos. A Sementeira de Olinda contará com o acompanhamento de técnicos e especialistas, operando diariamente. 


Secretaria de Imprensa de Olinda

10ª Copa Caruaru de Tênis de Mesa

A temporada de competições esportivas de 2018 na Capital do Agreste iniciou neste final de semana com as disputas pela 10ª Copa Caruaru de Tênis de Mesa. O evento reuniu, neste domingo (14), 112 mesatenistas de todo o estado no Ginásio Municipal, com a presença dos principais clubes: Seleção Caruaruense/ Ibra, Universidade Católica de Pernambuco, Sport Club do Recife, Clube das Águias - Recife, Clube de Belo Jardim, Clube de Bezerros e o Clube de São Bento do Una. Foram 13 categorias em disputa. A Federação Pernambucana promoveu a copa com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio da Gerência de Esportes e Lazer do município. 

Imprensa Caruaru

Adagro apreende cerca de 178,5 kg quilos de queijo em Santa Maria da Boa Vista

Fiscais da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) em uma operação conjunta com a Vigilância Sanitária Municipal apreenderam na última sexta-feira (12) cerca de 178,5 kg de queijo de manteiga impróprios para o consumo na feira livre de Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do Estado.

Os produtos eram comercializados em sacolas plásticas sem nenhum tipo de informação, como a data de fabricação, valor nutricional ou o selo do Serviço de Inspeção Estadual (SIE), marca obrigatória para a comercialização de produtos de origem animal dentro do estado. O carro que transportava o queijo foi encontrado pelos fiscais em outro local da cidade e o responsável pelo veículo informou que a mercadoria vinha do município de Feira de Santana, na Bahia.

Toda a mercadoria foi apreendida e cerca 84 quilos foram levados pela Vigilância Sanitária para análise laboratorial no município de Petrolina e o restante do produto foi incinerado. A guarda municipal ajudou na operação

Imprensa Adagro PE

Daniel Cravinhos, condenado pela morte do casal Richthofen, deixa prisão em Tremembé

Daniel Cravinhos, condenado a 39 anos de prisão pela morte dos pais da ex-namorada Suzane Richthofen, deixou a penitenciária em Tremembé (SP) na tarde desta terça-feira (16). Ele foi beneficiado pela concessão do regime aberto e vai cumprir o restante da pena em liberdade.

Ele deixou a unidade, conhecida por abrigar detentos de casos de grande repercussão, às 16h35, conforme apurou o G1. A unidade onde ele estava preso tem como um dos internos Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha Isabella.

Daniel estava preso desde 2002, ano em que cometeu o crime. Ele foi condenado em 2006 junto com o irmão, Christian Cravinhos, que teve em agosto do ano passado o regime aberto concedido pela Justiça.

Antes do regime aberto, ambos cumpriam desde 2013 pena no regime semiaberto. No modelo, eles tinham direito a cinco saídas temporárias por ano.

Namorado de Suzane na época do crime, Daniel foi apontado como autor da execução do casal junto com o irmão. Ele cumpriu 16 anos de prisão e teve dois anos remidos da pena por ter trabalhado na cadeia.

A advogada dele, Mônica Silva, foi procurada pelo G1 e confirmou apenas que o cliente deixou a prisão. Daniel casou enquanto estava preso, em 2016. Os pais dele vivem em São Paulo.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou, em nota, que cumpriu a decisão judicial e que o preso deixou a penitenciária 2.

Suzane Richthofen

Suzane segue presa em Tremembé e também pleiteia o benefício do regime aberto. Ela teve parecer favorável de uma junta médica para ser beneficiada com a progressão de regime e aguarda decisão da Justiça.

Ela namorou uma detenta em 2015 e atualmente namora um empresário de Angatuba (SP).


Portal G1

Mendonça Filho deixará Ministério da Educação para se candidatar

O ministro da educação Mendonça Filho (DEM-PE) planeja deixar o cargo em abril deste ano para se candidatar nas eleições. Ainda não sabe para qual cargo, pois pretende "consultar seu eleitorado". Atualmente é deputado federal e em sua carreira política foi deputado estadual e vice governador. Em 2006, após ser vice de Jarbas Vasconcelos, exerceu o governo do Estado e se candidatou ao Palácio das Princesas. Mas um inesperado segundo turno com Eduardo Campos trouxe-lhe uma derrota sem precedentes, fazendo com que ele não quisesse mais candidaturas majoritárias. Eleito em 2010 e 2014 como deputado federal, chegou ao ministério da educação após a cassação do mandato de Dilma Rousseff e consequente ida de Michel Temer ao Palácio do Planalto.

Coreias terão time unificado nos Jogos de Inverno

A Coreia do Sul e a Coreia do Norte concordaram em formar sua primeira equipe olímpica unificada e em desfilar juntas na cerimônia de abertura dos Jogos de Inverno no mês que vem, afirmou a agência sul-coreana Yonhap nesta quarta-feira (17). O time conjunto será de hóquei feminino.

O anúncio foi feito em um comunicado de ambos os países divulgado pelo Ministério da Unificação coreana, baseado em Seul, após uma reunião realizada em Panmunjom, cidade na fronteira onde foi assinado o cessar-fogo, na zona desmilitarizada (DMZ) que divide a península.

Na abertura dos Jogos, que serão realizados no condado sul-coreano de Pyeongchang, o desfile dos dois países será com uma bandeira unificada da península.

Na mesma reunião, a Coreia do Norte propôs enviar uma delegação com 550 membros, incluindo 140 artistas, 30 lutadores de Taekwondo e 230 animadoras de torcida (foto). A equipe deve chegar à Coreia do Sul no dia 25 de janeiro, segundo o comunicado.

As famosas "brigadas de animadoras" norte-coreanas estiveram presentes em outros eventos esportivos realizados em território sul-coreano, como os Jogos Asiáticos de Busan em 2002 e o Campeonato de Atletismo da Ásia em Incheon em 2005.

A reunião desta quarta foi a segunda em alto nível entre as duas Coreias em pouco mais de uma semana, depois que em 9 de janeiro ambos os países tiveram seu primeiro encontro deste tipo em dois anos e estabeleceram a convocação de futuras reuniões militares para evitar novos atritos e o envio de uma delegação norte-coreana a Pyeongchang.

Detalhes da viagem

O regime norte-coreano propôs ainda que a delegação que enviará aos Jogos viaje por terra e atravesse a passagem situada na faixa ocidental da fronteira empregada para o funcionamento do polígono intercoreano de Kaesong, enclausurado desde 2016, explicou o Ministério de Unificação sul-coreano.

Ainda que sejam necessárias conversas militares para estabelecer o protocolo de segurança em torno da delegação norte-coreana, a viagem por terra parece mais simples que por mar, já que permitir um barco norte-coreano atracar na costa sul-coreana pode violar as sanções que Seul impõe sobre Pyongyang por seu programa de armas.

Durante as conversas desta quarta, as duas partes discutiram também a possibilidade de realizar atos culturais conjuntos no Monte Kumgang e também na estação de esqui de Masikryong, ambos localizados em território norte-coreano.

Resta determinar o alojamento para a delegação norte-coreana e como será custeada a hospedagem e a viagem de modo que a Coreia do Sul não vulnere as sanções.

Na sessão matinal da reunião, o Norte notificou ainda que enviará uma delegação aos Jogos Paralímpicos de Pyeongchang, que acontecerão entre 9 e 18 de março.

Além disso, ambas partes concordaram que a participação de atletas norte-coreanos em competições oficiais de Pyeongchang será determinada conjuntamente com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Paralímpico Internacional (CPI), com o que a Coreia do Norte poderia estrear em Jogos Paralímpicos invernais.

Portal G1